Alisamento - tudo que você precisa saber

Tudo sobre alisamento

Já imaginou acordar e não ter que passar horas (10 minutos) arrumando o cabelo? Pois é. Hoje em dia existem diversos tratamentos e processos químicos que permitem que nós, mulheres, tenhamos os fios comportadinhos, facilitando nossas vidas. Mas, como tudo na vida, os famosos alisamentos vêm com os prós e contras. E, vamos combinar que ter o cabelo danificado ninguém merece!

"Fazer uma alteração na estrutura do fio (alisar ou relaxar) sempre trará um dano ao cabelo", afirma Freia Hufnagel, responsável pelo salão Gustavo Cabeleireiros, com mais de 55 anos de tradição. E continua: "A diferença está em quanto tempo este fio se restabelece. Alguns processos ‘selam’ o fio de maneira que este não consegue absorver a hidratação e resseca".

Sendo assim, vamos te explicar como continuar com a cabeleira linda, mesmo com produtos que alisam, e hidratada!

"Um dos produtos mais antigos utilizados em alisamento de cabelos é o hidróxido de sódio, o qual temos plena convicção de que ainda é um dos melhores produtos para alisamento. Claro, se este for aplicado da maneira correta, respeitando a individualidade de cada cabelo, espessura, tipo de ondulação etc.", explica a proprietária.

É interessante notar que Freia cita um produto antigo, porém que funciona. O motivo disso seria que novos produtos no mercado não levam em consideração a diversidade dos cabelos.

O que ela recomenda é: "Informe-se sobre o produto a ser aplicado, se quem aplica é profissional. Caso for utilizar mais de uma química no cabelo, tintura e alisamento, por exemplo, redobre o cuidado com hidratações frequentes".

Atualmente, as bases químicas comprovadamente alisantes são: hidróxidos (sódio, litium, cálcio) o tioglicolato de amônia e o formol, além do glutaraldeído, que está proibido pela ANVISA. Alguns fabricantes lançaram produtos à base de carbocisteina e com algumas proteínas, como serina e cisteina, por exemplo, que também, segundo os fabricantes, além de alisar reporia a massa do cabelo.

Essa reposição é muito importante, conforme explica Freia: "Um exemplo bem clássico, e que se vê muito hoje em dia, é um cabelo com reflexos e progressiva que afina nas pontas. A aparência é de afunilamento e realmente há uma perda e/ou quebra do cabelo por excesso de química e ressecamento". Daí a importância das proteínas e uma mega hidratação!

Uma informação legal para as "virgens" das químicas é que nas primeiras aplicações de processos de alisamento é bem provável que o cabelo não vá danificar. Mas é importante avaliar os fios depois da terceira aplicação porque, como Freia diz, é aí que as quebras acontecem, formando "emendas", que ficam mais frágeis a cada reaplicação.

Por fim, fica a palavra-chave do cuidado: manutenção! Além dos conselhos básicos de como evitar chapinha, caso não seja possível utilizar algum protetor térmico ou quando for fazer escova não puxe excessivamente ou aproxime demais o secador para evitar quebras. Além disso as hidratações e os cuidados não cessam.


E, antes de fazer qualquer procedimento, procure os conceitos básicos dos produtos químicos utilizados no mercado (amônia, formol, hidróxidos, etc.) para saber o que pode ser utilizado em conjunto e não se esqueça da constante manutenção. Seguindo as dicas direitinho, não há cabelo que não resista!

Por Alessandra Vespa (MBPress)

Comente