Alongamento de cabelos - tendência entre as celebridades

Alongamento de cabelos  tendência entre as celebri

Foto/Divulgação/Globo

Ele se tornou o queridinho de algumas famosas. Solução para mudar o visual do dia para a noite, o alongamento virou febre em vários salões do país. Depois de Taís Araújo e Deborah Secco, Mariana Ximenes também entrou na onda a fim de conseguir um visual mais sexy para a sua personagem em Passione.

No mega hair, os cabelos humanos ou sintéticos são "colados" na raiz do cabelo original. O bom resultado depende de dois fatores. Um deles é a escolha dos fios a serem aplicados. "Os naturais são sempre os melhores. Os tons mais loiros e cacheados, estilo Gisele Bündchen, são os preferidos. Quanto mais loiro, mais caro - os valores giram em torno de 1200 e 3200 reis. Além da cor, o comprimento também determina o custo", explica Marcio Granado, cabeleireiro da Casa Mauro Freire.

A escolha da técnica também interfere no resultado. Segundo o cabeleireiro, o mega hair de nó italiano foi um dos primeiros procedimentos a ser usado e não traz muitas vantagens. Nele, as mechas são amarradas com elástico em minitrancinhas feitas na raiz do cabelo. "Também é mais difícil de trabalhar, pois não acompanham o desenho da cabeça, assim o resultado não sai natural", diz.

Além de demorar mais para ser aplicado, ele apenas é indicado para quem tem cabelos mais resistentes. Ainda não é prático, pois os cabelos só podem ser penteados do elástico para baixo. Os fios são lavados normalmente, mas ficam úmidos e se estragam.

Granado prefere a usar a cola, que, além de grudar as mechas, protege as madeixas evitando a quebra. Pequenos fios são inseridos um a um no próprio cabelo com a ajuda de uma pinça. "A partir disso eu consigo desenhar o cabelo conforme a cabeça da cliente, sem parecer que existe uma aplicação", explica. Ainda segundo o cabeleireiro, a quantidade de cola pode ser controlada conforme o tipo de fio: para os mais finos, menos cola, e o contrário para os mais resistentes.

Por se tratar de um método artesanal, o processo chega a ser feito entre seis e doze horas, conforme o comprimento das madeixas. "Depois disso, a cabeça pode ser lavada naturalmente, mas não com água muito quente. Também não é indicado esfregar muito o couro cabeludo, por conta da cola, que pode dar nós. O secador só pode ser usado nas pontas, nunca próximo ao couro cabeludo", recomenda o profissional. Geralmente, as mechas permanecem por até cinco meses. Depois elas são retiradas, o cabelo natural é cortado, e são coladas novamente, isso desde que a cliente passe por um profissional de 15 em 15 dias, após os dois primeiros meses. Detalhe importante: o método não é indicado quando o couro cabeludo está descamado ou irritado.

Para mudar radicalmente o visual e ganhar cabelos lindos e invejáveis é preciso desembolsar uma boa quantia. Segundo o profissional, a mão de obra gira em torno de 500 a 3500 reais. Isso somado ao uso da cola, 0,50 centavos por mecha, mais o cabelo humano - entre 1200 e 3200 reis. "Muitas mulheres sonham em ter o cabelo perfeito. Mesmo com as várias técnicas já existentes no mercado, elas querem um cabelo volumoso, comprido e com aspecto saudável, que só conseguem através do mega hair", destaca o profissional.

[galeria]

Microlink e Polímero de Queratina

Além da técnica feita com cola, muitos profissionais também utilizam o chamado micro-link, isto é, pequenos fios já fixos em pontas de queratina que são aplicados ao cabelo. "O profissional não utiliza calor, cola ou queratina. A aplicação é feita por meio de micro-conectores metálicos que ficam achatados de modo a não criar volume na raiz, tudo com o auxílio de um gancho e alicate", explica Pâmela Pereira, assistente comercial da marca Giambertone Roma, que comercializa as mechas.

Conforme o crescimento dos fios, o método pode durar entre três e quatro meses. Caso a ponta esteja intacta, ela pode ser aplicada outra vez somente trocando os conectores. Pâmela afirma que o tingimento dos fios pode ser feito nos intervalos das aplicações.

Já no Polímero de Queratina há o uso de calor. A aplicação é semelhante ao micro-link, entretanto, o polímero tem substâncias similares ao cabelo, assim o alongamento é mais resistente ao calor, umidade e produtos químicos. "Os fios vem distribuídos uniformemente no polímero de queratina, não embaraçando o cabelo", diz a assistente. O custo dos dois métodos varia entre 900 e 4 mil reais, o valor dos cabelos depende da quantidade e comprimento das mechas.


Feito o alongamento no salão é preciso redobrar os cuidados para que as mechas se mantenham lindas e macias. Seja qual for o método escolhido não se deve lavar os cabelos dois dias após a aplicação. No dia a dia é importante escovar os cabelos com pente de dentes largos, começando das pontas até as raiz. A lavagem deverá ser feita com shampoo neutro (sem sal, sem álcool e sem condicionador adicionado). Antes de praticar esportes, ir à praia ou piscina, Pâmela indica prender os cabelos.

Por Juliana Lopes

Comente