Transplante de fezes pode substituir antibióticos

Você sabia que doação de fezes pode salvar vidas? É a pura verdade!
banco de fezes

Foto - Divulgação/OpenBiome

Uma infecção responsável por cerca de 29 mil mortes por ano exigiu que os médicos dos Estados Unidos procurassem outras formas de deter a bactéria Clostridium difficile. O transplante fecal é uma técnica ainda pouco conhecida no Brasil mas que tem seus resultados comprovados em pacientes com problema intestinal.


No nosso país, o médico Arnaldo Ganc, do Hospital Albert Einstein, de São Paulo já realiza o transplante fecal. Segundo ele, o resultado é espetacular. "(...) pessoas que estão doentes por três, quatro meses ficam curadas em dois dias depois do transplante", disse o médico. "A diferença entre o tratamento e o uso da vancomicina (antibiótico) é nítida. Para este tipo de bactéria a técnica é unanimidade, é cientificamente o melhor tratamento".

banco de fezes

Foto - Divulgação/OpenBiome

Já nos Estados Unidos, o médico Sahil Khanna, da clínica Mayo, em Minnesota, apresentou recentemente os resultados de uma técnica que ele desenvolveu para prever com exatidão, pela primeira vez, quais pacientes são resistentes ao tratamento com antibióticos e, portanto, devem considerar o transplante de fezes. A técnica se baseia no número de espécies de bactéria nas fezes dos pacientes.Segundo Khanna, os tratamentos com antibióticos têm uma taxa de sucesso de apenas 40% a 50% para casos de infecção recorrente, comparado a 90% de sucesso do transplante.

Tanto sucesso no tratamento de doenças exigiu que um banco de fezes fosse feito. Hoje, existe um banco sem fins lucrativos chamado OpenBiome, que recolhe doações com o objetivo de expandir o acesso seguro ao transplante. 

O mais peculiar? Quem doa recebe pelas fezes! Porém apesar do desejo de muitos de ganhar dinheiro evacuando, não é tão fácil  passar pelo processo rigoroso da instituição. Eles só aceitam fezes de pessoas muito saudáveis.

Por Thamirys Teixeira

Comente