Sibutramina: efeitos colaterais

Sibutramina proibida nos EUA

Primeiro a proibição aconteceu na Europa, no ano passado. Agora, os remédios com sibutramina, usados para emagrecer, foram retirados do mercado dos EUA, Canadá e a Austrália a pedido da FDA, agência norte-americana que regula medicamentos.

As proibições começaram após resultados de um estudo europeu sobre seus efeitos colaterais que indicou um aumento de 16% no risco de derrame e ataque do coração com o uso da substância em pessoas que já apresentaram problemas cardíacos.

Aqui no Brasil o medicamento não é proibido, porém só vendido com receita médica (azul - B2, especial para medicamentos de regime que podem causa dependência). Em março deste ano a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) criou essa nova regulamentação com o objetivo de tornar a venda do medicamento mais controlada e depois dessa nova proibição já avisou que está acompanhando a alteração no posicionamento das diversas agências reguladoras.

A endocrinologista e nutróloga Ellen Simone Paiva explica que a sibutramina tem possíveis efeitos colaterais, por isso é muito importante estar atento as indicações e só usar se indicado por um médico. Mas ela defende também que atualmente este é praticamente o único remédio usado para o emagrecimento, por isso associações que dizem respeito a obesidade e regime defendem a permanência do produto. "As outras opções são os fitoterápicos que não tem eficácia comprovada e as anfetaminas que não indicamos".

Ellen explica que o que acontece é que em pesquisas feitas os responsáveis por regulamentar o uso ou não vem notando mais riscos do que vantagens para quem usa. "Não acho que o medicamento deve ser retirado das farmácias, mas creio que isso pode acontecer já que saiu de mercados importantes como Europa e Estados Unidos. Por aqui está na berlinda".

A questão ainda não totalmente respondida é se a droga também aumentaria as chances de problemas cardiovasculares em pessoas sem este histórico. Por enquanto os estudos apontam problemas em pessoas pré-dispostas.

Indicação

O remédio deve ser usado por pacientes que tenham sobrepeso importante ou obesidade. "Pessoas que precisam perder alguns quilinhos não são possíveis usuários do medicamento. Esse tipo de pessoa, depois de perder acaba engordando ainda mais".

Há uma série de contra indicações para o uso: pessoas que tem problemas cardiovasculares (há o aumento da frequência cardíaca porque ele faz com que a queima calórica aumente e isso pode gerar problemas como palpitações), transtornos de ansiedade, insônia e enxaqueca não devem usar já que a sibutramina pode agravar os sintomas. "Além disso, os médicos observam as reações, se com o uso aparecerem problemas como ansiedade, irritação e falta de sono o uso deve ser cancelado".


Pessoas com mais de 50 também estão fora da lista, eles tem mais predisposição a ter qualquer um dos problemas citados. "Os compulsivos também não devem usar, já que o remédio é um inibidor de apetites e eles comem mesmo sem fome, então não haveria resultado", explica a médica.

Por Larissa Alvarez

Comente