Serviço oferece suporte digital após a morte

Serviço oferece suporte digital após a morte

Foto/Reprodução

Muitas pessoas sentem um arrepio só de pensar em morrer. Outras não gostam nem de imaginar a possibilidade, como se isso o bastasse para que nunca aconteça. Porém, há exceções. Luiz Gigante teve uma ideia inusitada e brilhante. Criou o Brevitas, um serviço pós-morte!

A iniciativa foi lançada em março deste ano. Porém, a ideia veio anos antes. "Sofri um grave acidente de carro na estrada após uma discussão em casa com os meus pais e fiquei me perguntando como teriam ficado as coisas entre nós se algo pior tivesse acontecido", revela Luiz Gigante. A partir deste momento, o fundador começou a elaborar o serviço. Foram seis meses de trabalho até a inauguração.

"O Brevitas fornece suporte para bens virtuais, que são todas as contas que possuímos na internet", lembra o fundador. Não sabe o que será de suas redes sociais, Twitter, Facebook, Orkut,e-mails, blogs, LinkedIn...? É só registrar o seu desejo que o Brevitas realizará para você. É possível transferi-los para outra pessoa de sua confiança, alterar conteúdo, inserir um último post ou desabilitar e encerrar a conta.

O contratante pode se preparar para a sua partida, deixando registrados seus mais íntimos sentimentos. Vários mecanismos estão disponíveis para que a pessoa tenha a oportunidade de deixar recados para as pessoas amadas. As mensagens podem ser gravadas em texto, vídeos ou voz.

O fundador afirma que a aceitação e procura pelo serviço surpreendeu as suas expectativas. "Nos dois primeiros meses foram mais de 300 cadastrados", dispara Luiz. A idade média dos contratantes é de 33 anos e há um total equilíbrio entre homens e mulheres. "São 60% de solteiros, 30% de casados e 10% de divorciados e viúvos", especifica Luiz.

A publicitária Júlia Éboli, 25 anos, diz que sentiu necessidade do serviço mesmo antes de conhecê-lo. Ela morou nos Estados Unidos, em um local de difícil acesso, o que fez com que ela se preocupasse. "Como eu iria falar tudo que eu sentia para a minha mãe, minha irmã, minha melhor amiga? Como todas as pessoas que amo e deixei no Brasil conseguiriam saber tudo que eu queria dizer a elas, estando tão longe?", desabafou Júlia. Ao regressar ao Brasil, ela conheceu o Brevitas.

Júlia contratou o plano mais completo, com mensagens ilimitadas, a fim de deixar conforto a todos os amigos e familiares. Sobre o seu meio de comunicação favorito, a publicitária afirma:

"Particularmente, acho as mensagens de vídeo mais interessantes, porque elas são mais pessoais. É bem diferente ler uma mensagem que alguém te deixou por escrito e ver a pessoa falando aquelas mesmas palavras, diretamente para você", completa.


Todas as mensagens são de acesso exclusivo de seus criadores, somente após a sua partida elas são distribuídas aos respectivos destinatários. Por esse motivo não é possível saber quais são as mensagens mais populares - poderiam ser de amor, de pedido de perdão ou de agradecimento. "Pessoalmente ficaria muito feliz se recebesse uma mensagem com palavras de conforto e carinho", revela Júlia, que ainda afirmou querer deixar à sua mãe o direito de acessar todas as suas fotos que estão no Flickr.

O serviço está divido em quatro planos, um deles é grátis, basta se cadastrar. O básico custa R$ 19,90, o Brevitas 01 sai por R$ 49,90 e o Brevitas 02 custa R$ 79,90. Os valores são anuais.

Por Bianca de Souza (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: saúde morte