Um seio não é exatamente igual ao outro

Assimetria entre as mamas é bastante comum
seios-mulheres

Foto - Shutterstock

Como você se sente em relação aos seus seios? O site feminino The Cut entrevistou mulheres entre 17 e 72 anos para responder a essa dúvida. Cada uma delas deveria desenhar e descrever como viam os próprios seios e o resultado foi, no mínimo, interessante. 

Algumas desenharam seios quadrados, caídos, separados. E há ainda os desenhos que mostravam em um mesmo par, um seio diferente do outro. Essa assimetria é mais comum do se imagina. O cirurgião plástico André Mattos explica que a mama é um órgão que se modifica muito ao longo da vida em virtude de vários fatores como peso, perfil hormonal, gravidez dentre outros.

“Não existem mamas absolutamente simétricas. Todas têm diferenças! De tamanho, de forma, implantação no tórax, tamanho da aréola... Enfim, diferenças importantes que merecem nossa atenção ou pequenas diferenças que permanecerão mesmo depois de uma cirurgia plástica!” explica o médico.

Segundo André, as mulheres estão cada vez mais preocupadas com o aspecto das mamas. Além de ser um órgão sexual importante, mamas bonitas satisfazem o ego e agradam os parceiros. No entanto, as preferências em relação ao formato e tamanho mudam de década em década.

“Nos ano 90, a moda eram mamas pequenas. A cirurgia mais realizada era mamoplastia redutora. Hoje existe uma demanda por implantes de prótese de silicone que, em muitos casos, ultrapassa os limites da razão. Algumas pacientes pedem para colocarmos prótese para levantar a mama e melhorar a forma mesmo com mamas grandes. Devemos sempre lembrar que implantes mamários aumentam as mamas, não fazem outra coisa! Em casos selecionados de mamas grandes e ptosadas (caídas), o implante nos auxilia, para atingirmos um resultado mais harmonioso. Essa é atualmente a mais frequente solicitação nos consultórios”, finaliza o especialista.

Veja o resultado do projeto:


Por Helena Dias

Comente

Assuntos relacionados: seios mamoplastia