Saiba mais sobre o Mal de Alzheimer

Mal de Alzheimer

O Mal de Alzheimer é muito conhecido como uma doença degenerativa do cérebro, que como a demência, provoca a perda de memória, raciocíno e lucidez gradativamente. Os sintomas da doença surgem aos poucos, por isso é difícil diagnosticar num primeiro momento.

A causa da doença de Alzheimer ainda é desconhecida. Foi descrita pela primeira vez em 1906 pelo psiquiatra alemão Alois Alzheimer, daí a origem do nome.

Suas características podem ser notadas em atitudes como declínio na capacidade de realizar atividades rotineiras, alterações na personalidade, no comportamento, perda da noção de tempo e espaço, incontinência urinária, não-reconhecimento de familiares, incapacidade de hábitos siples, como tomar banho, por exemplo.

É uma doença muito delicada porque afeta outras pessoas. O portador de Alzheimer acaba dependendo de outra(s) pessoa(s) que possam dar asssistência devida às suas necessidades.

Frequentemente surge a partir dos 60 anos e infelizmente não tem cura, mas há tratamentos que retardam sua evolução e minimizam alguns sintomas, obtendo uma melhora da memória e uma estabilidade do comportamento.

Atualmente os medicamentos mais eficazes no tratamento são os inibidores da acetilcolinesterase, que inibem a enzima responsável pela acentuação da doença em determinadas regiões do cérebro. Como a ansiedade e a depressão também são características do Mal de Alzheimer, antidepressivos também podem ser prescritos pelos médicos. Além de melhorarem o humor, o apetite, o sono, também podem retardar a degeneração do cérebro.

Também é importante manter hábitos de vida saudáveis. Segurança dentro da casa, uma boa higiene sempre mantida em dia e procedimentos facilitam a vida do portador da doença: mantenha sempre por perto um cartão de identificação com nome e telefone dos familiares, dê exercícios para memória como palavras cruzadas, converse sobre o noticiário da Tv, ou mantenha um ambiente calmo - isso vai fazer com que a pessoa se sinta mais segura e menos desorientada.


Os familiares e outras pessoas que cuidam e convivem com os portadores de Alzheimer também sofrem com o desgaste físico e emocional. Ajudar a se vestir, se lavar, se alimentar, é algo muito cansativo. Por isso é necessário revezar essa responsabilidade com outros amigos e familiares e ter um tempo próprio para o descanso e lazer. O esgotamento pode causar estresse, assim o cuidador maltrata o doente, que não é culpado nem responsável por sua triste e atual situação. É necessário um equilíbrio e uma boa qualidade de vida para todos.

Por Jessica Moraes

Comente