Saiba mais sobre a hipotensão

Saiba mais sobre a hipotensão

Quem é hipertenso sabe bem como é conviver com o problema do aumento de pressão. Por fazer o coração trabalhar mais, alguns pacientes se queixam de desconforto na nuca ou uma forte pressão na cabeça.

Entretanto, durantes os picos hipertensivos pode haver tonturas, dores de cabeça, fadiga, inquietação e sangramento no nariz.

Mas em contrapartida existem os hipotensos, ou seja, pessoas que têm a pressão abaixo do comum. A pressão arterial baixa (hipotensão) é baixa o suficiente para produzir sintomas, geralmente inferior a 90/60 mmHg.

"Em algumas situações como calor, estresse ou após esforços intensos, a pressão arterial pode cair um pouco mais levando a tonturas e ao cansaço. O único cuidado nesses casos é hidratar-se bem (ingerindo água, sucos, chás, etc)", explica o cardiologista Marcus Vinícius Bolívar Malachias, membro da Sociedade Brasileira de Cardiologia (FUNCOR).

A hidratação é o melhor tratamento para a queda da pressão arterial. Mas fique atenta: a recomendação popular de ingerir sal não traz benefícios para a elevação de pressão imediatamente.

"O uso do sal não eleva a pressão agudamente, diferentemente do que muitos imaginam, mas sim cronicamente. Por isso, não adianta consumir sal para tratar imediatamente uma possível queda de pressão. O melhor é ingerir líquidos", adverte Marcus.

Segundo o especialista, a hipotensão pode sim ser causada por problemas graves como hemorragias, desidratação, infecções, choques. "Nesses casos o tratamento deve ser voltado para a causa básica, além de internação hospitalar e cuidados intensivos. Para quem tem normalmente a pressão mais baixa, o melhor é manter-se sempre hidratado", aconselha.

"Quando constante, a queda de pressão pode ser sintoma de alterações importantes no sistema nervoso ou endocrinológico. Se episódica, pode estar relacionada ao clima - o calor provoca a dilatação dos vasos e a consequente baixa na pressão. A falta de regularidade na alimentação e descuidos com a hidratação também podem levar a quedas súbitas de pressão", acrescenta o cardiologista.

Felizmente, na maioria dos casos, não há a necessidade de tratamento da pressão baixa. A maioria das pessoas que apresenta níveis abaixo de 13 por 8 vive bem.

"A pressão arterial baixa, geralmente, não deve constituir preocupação nem receber tratamento. As pessoas que têm a pressão mais baixa em geral vivem mais e têm menos problemas cardíacos, pois o esforço do coração e das artérias é menor", declara.

Segundo Marcus, o nível ideal de pressão arterial para adultos é em torno de 120 por 80 mm Hg (milímetros de mercúrio), que comumente chamamos de 12 por 8.

Valores até 139/89 mm Hg podem ser considerados toleráveis para algumas pessoas, a critério médico. Não há definição para pressão baixa, pois algumas pessoas podem ter naturalmente valores baixos de pressão, sem que seja considerado anormal.

Medidores de pressão portáteis - confiáveis?

De acordo com o cardiologista, os equipamentos automáticos podem ser de alta precisão ou não. Há equipamentos de uso profissional que são até utilizados pelos médicos. A maioria, contudo, é de baixa ou média precisão.


"O melhor é, antes de comprá-los, perguntar a um médico a marca e modelo mais adequado. Há entidades que certificam a qualidade e precisão dos diferentes equipamentos. Os de medida no braço são, em geral, mais confiáveis que os de pulso", revela.

A medida domiciliar da pressão arterial, feita com equipamento confiável e com a técnica correta, é atualmente considerada como importante estratégia auxiliar para o controle do tratamento.

Por Jessica Moraes

Comente