Sabonete antibacteriano não deve ser usado

sabonete antibacteriano

Aparentemente o sabonete antibacteriano é melhor para saúde que o sabonete comum, pois elimina os germes e bactérias. Pelo menos é o que a gente ouve falar, mas esse tipo de sabonete está na berlinda, pois não é o que alguns especialistas afirmam. Eles podem causar danos à saúde, sim, e ainda danos ao meio ambiente.

Uma pesquisa gerou dúvida sobre a eficácia desses sabonetes e ainda verificou que a substância chamada triclosan, ingrediente comum aos produtos antibacterianos, é um produto químico que pode oferecer risco ao corpo humano, podendo prejudicar os músculos do corpo e até do coração.

A agência FDA, responsável pela regulamentação de alimentos e drogas nos Estados Unidos, está querendo vetar a venda de produtos que contenham essa substância.

Surge outra dúvida: será que produtos antibacterianos realmente nos protegem de doenças? É claro que o hábito de lavar as mãos continua sendo essencial para manter a boa saúde e higiene, mas realmente produtos comuns como sabonetes neutros e géis antissépticos à base de álcool não são tão eficazes quanto os produtos à base de triclosan. Em vez de matar as bactérias, o sabonete comum simplesmente as remove das mãos, o que permite que sejam levadas pelo ralo.

No entanto, o triclosan atinge apenas algumas bactérias específicas e não uma arma tão poderosa para evitar vários tipos de doenças como se vê em muitas propagandas. A substância, por exemplo, não é eficaz contra o vírus, o maior causador de grande parte das doenças em uma residência.

Um estudo divulgado em 2007 na revista Clinical Infectious Disease comparou produtos contendo triclosan ao sabonete comum, e descobriu que as pessoas não eram menos vulneráveis a diarreias, tosses, febres e infecções de pele se usassem sabonetes com a substância química.

O triclosan foi classificado como pesticida pela primeira vez em 1969, segundo a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos. Desde então, o produto químico passou a integrar cremes dentais, sabonetes para as mãos, sabonetes líquidos, tábuas para cortar alimentos, brinquedos, tapetes, colchões, roupas, móveis e uma grande variedade de produtos, com o objetivo de combater bactérias, fungos e mofo.


O recomendado por alguns especialistas é usar água e sabonete comum mesmo, pois oferecem menos riscos diretos à saúde. E, se não for possível, recorrer a produtos à base de álcool, como os géis antissépticos.

Por Jessica Moraes

Comente