Podoposturologia corrige desequilíbrios posturais

Podoposturologia corrige desequilíbrios posturais

Nem sempre as dores nos quadris ou nas pernas têm origem nessas partes do corpo. Às vezes, a sensação incômoda aparece por algum desequilíbrio na postura das pessoas. Então, é preciso mais que uma massagem relaxante para acabar - ou pelo menos amenizar - o problema.

Pensando nisso, especialistas desenvolveram a podoposturologia - técnica de origem francesa criada para reeducar e realinhar a estrutura do corpo. A novidade pode ajudar quem sofre com alterações posturais (principalmente a escoliose), diferença no tamanho das pernas, dores nas costas, quadril e/ou joelhos. Isso ocorre por conta de um distúrbio nos pés com alteração no tipo de pisada e consequente desequilíbrio postural.

"É recomendada também quando há dores e/ou alterações locais nos pés, como esporão de calcâneo, fasceíte plantar, joanete, calosidades, pé chato, neuroma de Morton e tendinite de calcâneo", afirma Vidigal Afonso Gasparini, fisioterapeuta responsável pela "Corpo Equilíbrio Fisioterapia", clínica localizada em São Paulo.

Outro grupo que pode se beneficiar com a podoposturologia é o dos atletas. Tudo porque, com a técnica, é possível proporcionar o equilíbrio correto entre as estruturas articulares, musculares e tendinosas, "E assim o atleta consegue suportar a sobrecarga física sem compensações que levam às lesões", declara o especialista.

O método é composto de algumas etapas, até a confecção de uma palmilha especial para corrigir a postura do paciente. A diferença desse item para as palmilhas comuns está no material. "Na composição delas, alguns elementos são fixados em contato com a planta dos pés e que fornecem informações ao sistema postural", explica o fisioterapeuta.

"Como resposta, o corpo produz um reequilíbrio, corrigindo desta forma as assimetrias posturais, nivelando a bacia e diminuindo a torção de tronco, contribuindo para a melhora da congruência das articulações e amenizando a sobrecarga na coluna vertebral, nos joelhos e nos pés", completa.

Veja, abaixo, cada etapa para corrigir a postura:

1. Anamnese: Perguntas sobre as atividades de vida diária;

2. Avaliação Postural Global;

3. Avaliação do tipo de pisada computadorizada (Baropodometria);

4. Teste de equilíbrio;

5. Teste de força muscular específica;

6. Teste de mobilidade e flexibilidade;

7. Análise de rotação;

8. Nivelamento da bacia;

9. Tensão da musculatura vertebral;

10. Confecção da palmilha;

11. Após 30 dias reavaliação.

A boa notícia é que a maioria dos pacientes com problemas posturais não precisa ficar a vida inteira usando a palmilha. "Há problemas que são solucionados entre 45 dias e seis meses, outros em um, dois ou três anos. Em apenas cerca de 30% dos casos, o uso de palmilhas é necessário de forma continuada", fala Mauro Pedroni Junior, fisioterapeuta e diretor da "FisioClínica Londrina", no Paraná.


Para garantir a melhora das condições e até da qualidade de vida dos pacientes, cada um recebe acompanhamento e orientações relativas à importância de atividades físicas - caminhada, pilates e corrida. "Se houver dores, realiza-se um trabalho de fisioterapia personalizada que inclui diversas técnicas, como reeducação postural, spiral tape e osteopatia", finaliza Vidigal.

Por Priscilla Nery (MBPress)

Comente