Plano de vingança: existe hora para parar?

Plano de vingança existe hora de parar

Foto Renato Rocha Miranda. Divulgação TV Globo

O tema vingança nunca esteve tão em voga. Desde que a personagem de Glória Pires, Norma, em "Insensato Coração", saiu da cadeia e iniciou seu plano de vingança contra Leonardo, vivido pelo ator Gabriel Braga Nunes, especialistas passaram a analisar as consequências de atitudes como essa.

A psicóloga Laurice Cury diz que entre os motivos que levam uma pessoa a se vingar estão orgulho ferido, raiva, ódio. "A Norma, por exemplo, foi maltratada, humilhada, presa sem necessidade, apesar de dado muito amor ao Léo. Ela era apaixonada por ele. E como a linha que separa o amor do ódio é fina como um fio de cabelo, pode-se dizer que a Norma ama e odeia Léo ao mesmo tempo".

O plano de vingança depende muito da personalidade de quem encabeça e raramente o vingador paga na mesma moeda. "Pegando novamente como exemplo o caso da Norma, ela pretende fazer com o Léo algo pior do que ele fez com ela, quer vê-lo se arrastando no chão", comenta Dra. Laurice. "Se a pessoa que está sendo vingada estiver arrependida do quer fez, ela pode vir a sofrer com isso, mas se tiver a personalidade do Léo, de um psicopata, não vai ligar e ainda vai bolar um plano contra quem praticou".

Ainda segundo a psicóloga, a vingança é ruim para as duas partes, mas, sem dúvida, a pessoa que se vinga costuma sofrer danos muito maiores. "O ódio maltrata por dentro. Por isso, não acredito que quem planeja o ato fique satisfeito depois. Ele sempre vai querer fazer algo mais, por achar que sua ferida é maior que a do outro", afirma.


E finaliza: "Eu acredito que o perdão ou uma psicoterapia sejam as melhores opções para situações como essas. A vingança não tem fim e quem passa anos fazendo planos como esses joga a própria vida fora".

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: equilíbrio vingança insensato coração