Pílula do dia seguinte reduz números de aborto

pilulaaborto

Foto - Shutterstock

Na polêmica de legalizar ou não o aborto, o governo de Dilma Roussef tenta obter uma implementação efetiva da pílula do dia seguinte no SUS.

Os dados revelaram que desde esta implementação no SUS, a quantidade de abortos caiu de 3285, em 2008, para 1626, no ano de 2012. Considera-se aborto legal aquele feito por causa de violência sexual, feto anencéfalo ou de risco à mulher.

A Lei 12.845, sancionada em agosto do ano passado, garante atendimento obrigatório a vítimas de violência sexual, com fornecimento de informações sobre a possibilidade legal do aborto e a medicação eficiente precoce para prevenir gravidez resultando de um ato contra a mulher, a então chamada de "profilaxia da gravidez".

Com a aprovação desta lei citada acima, o governo Dilma recebeu diversas críticas de grupos religiosos que são contra abortos, por isso, uma correção nos termos da lei foi solicitada pela presidente para, assim, não deixar mais dúvidas sobre este assunto.


Por Kelly Jamal

Comente