Obsessão em ficar saudável

Saúde  também é preciso se despreocupar

Você já ouviu aquela frase "tudo que é em excesso faz mal"? Pois ela também se aplica a preocupação com a saúde, por incrível que possa parecer. Muitos especialistas garantem: cuidar da própria saúde exige equilíbrio.

Preocupar-se muito com doenças, controlar a alimentação a todo momento e em qualquer circunstância, malhar além da conta, fazer exames médicos sem parar e privar-se de bons momentos, podem causar prejuízos também no trabalho, nas relações sociais e afetivas, fazendo com que a pessoa se torne prisioneira desses hábitos.

Quando isso ocorre, cresce o perigo de se manifestarem transtornos associados à atenção desmedida com a saúde. Caso da ortorexia (zelo exagerado com a alimentação), vigorexia (treinamento intenso para ficar sarado), hipocondria e do transtorno obsessivo-compulsivo, o famoso TOC.

Algumas pessoas adotam dietas muito rigorosas, cortam grupos de alimentos e vivem à base de ração humana.

Entretanto, a saúde envolve o conforto físico, psicológico, social e espiritual, e não apenas ausência de doenças. A mudança individual começa com a análise do tempo dedicado a cada atividade, aos cuidados com o corpo e a mente.

leia também


Portanto não abandone os cuidados nem as visitas ao médico, mas invista em outros hábitos rotineiros, como ler, viajar, esperar o amanhecer, ver um filme, sair com os amigos - coisas mais interessantes que só olhar o corpo. Quando o problema foge do alcance, remédios como antidepressivos são necessários e terapias também ajudam. Nesses casos é recomendável procurar o auxílio de um especialista para viver a vida mais leve, sem obsessões.

Por Jessica Moraes

Comente