Obesidade - saiba como tratar e prevenir o problema

Obesidade  saiba como tratar e prevenir o problema

Foto: beyond/Corbis

A obesidade é uma doença que pode ser fator de risco para problemas de saúde crônicos e, ultimamente, está assombrando os brasileiros. De acordo com uma pesquisa da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel 2012), do Ministério da Saúde, 51% da população brasileira está acima do peso. Do total, 48% são mulheres.

Dra. Flavia Coutinho, endocrinologista da Clínica VIVID, diz que estamos assistindo à chamada transição nutricional, que consiste na redução dos índices de desnutrição e no aumento da prevalência de obesidade. "A divulgação destes altos índices de obesidade no país é de suma importância, pois chama atenção para o fato de que medidas preventivas da obesidade são extremamente necessárias, sejam elas governamentais, coletivas ou individuais."

Nem sempre quem integra as estatísticas toma a iniciativa de mudar de atitude com facilidade, mas a mídia, direita ou indiretamente, vem tentando plantar a semente da motivação nessas pessoas. No quadro "Dança dos Famosos", do "Domingão do Faustão", por exemplo, três artistas que estavam acima do peso conseguiram emagrecer: Thiago Abravanel perdeu 5kg, Daniel Boaventura, 8,5kg e Cacau Protázio, 6kg. É uma prova do que o fim do sedentarismo pode fazer.

E vem mais incentivo por aí: está no ar mais uma edição do "Medida Certa", do "Fantástico". Agora o quadro conta com Preta Gil, Fábio Porchat, César Menotti e Gaby Amarantos. Dra. Flavia apoia programas como esses, pois provam que hábitos de vida podem ser modificados. Se o objetivo é perder peso as saídas são praticar atividade física regular e iniciar uma reeducação alimentar. "Para algumas pessoas pode servir como um ‘pontapé’, como apoio emocional e motivacional, mostrando que é possível alcançar a meta almejada", avalia.

Mas quem assiste ao programa precisa aprender a manter a mudança de hábitos a longo prazo. A própria endocrinologista lembra que neste período (início da primavera e proximidade do verão) vemos mais pessoas motivadas a emagrecer. Elas querem entrar no biquíni, expor mais o corpo. Só que este comportamento sazonal é um tanto perigoso, porque a preocupação com a saúde volta a diminuir no período que as temperaturas caem.

"Essas pessoas estão mais suscetíveis ao ‘efeito sanfona’, que é prejudicial ao organismo. Além disto, quando se aproxima o verão este público recorrem mais às ‘dietas milagrosas’ extremamente restritivas, sem se preocuparem em fazer uma verdadeira reeducação alimentar e mudanças de estilo de vida permanentes", lamenta a endocrinologista.

Disciplina e persistência

Essas duas palavrinhas precisam acompanhar quem está disposto a dar um basta no sedentarismo e fazer uma reeducação alimentar. E se formos avaliar, a persistência tem um peso maior. Isso porque, se acontecer deslizes durante o tratamento, a pessoa não deve desistir no meio do caminho, jogando "tudo para o alto".

"Os deslizes acontecem e não são sinônimos de fracasso, mas apenas um sinal de que a pessoa tem que se esforçar para continuar em frente. Lembrar sempre que terá um próximo dia para compensar, ou mesmo uma próxima refeição no mesmo dia para corrigir-se", diz a médica. "Também não precisa esperar a ‘próxima segunda-feira’ para começar tudo de novo."

Dra. Flavia separou algumas dicas para quem deseja entra de cabeça na luta contra a obesidade:

• Conte sempre com acompanhamento personalizado (médico e nutricionista), tendo consultas regulares com o mesmo, o que permite seguir o seu processo.

• Sua dieta precisa de metas alcançáveis e realistas para ficar mais fácil. A reeducação alimentar é um objetivo a ser cumprido a médio-longo prazo e, como a maioria dos objetivos que valem a pena, dá trabalho.

• "O que os olhos não veem o estômago não sente". Sendo assim, comece a colocar essa frase em prática no supermercado: nunca vá fazer compras com fome. Coma antes de sair de casa, pois ao fazer compras de estômago vazio você tende a comprar alimentos mais calóricos e desnecessários.

• Coloque no carrinho apenas alimentos que fazem parte da dieta, alternativas saudáveis e de baixas calorias, evitando cair em tentação.

• Um dos maiores inimigos de uma dieta bem sucedida é a privação total. Por isso, de vez em quando, permita-se um pequeno prazer.

• Peça apoio aos familiares e amigos. Avise-os sobre a sua dieta e tente fugir dos "sabotadores".

• Comece o dia com um nutritivo café da manhã. É uma das principais refeições do dia. E na hora do almoço e do jantar comece com um belo prato de folhas verdes. As fibras desses alimentos farão com que você sinta menos fome ao comer o restante.

• Dê intervalos de três a, no máximo, quatro horas entre as refeições. Isso ensina o corpo a sentir fome só nos horários determinados. Quando você fica muitas horas sem comer, o cérebro entende que não há comida e entra em regime de economia de energia, baixando ainda mais o metabolismo, ou seja, gasta menos calorias.

• Ao invés de fritar, asse os alimentos. Fuja das frituras e milanesas.

• Substitua os doces por frutas frescas ou secas. Se ingerir doces, dê preferência aos de frutas. Para variar a sobremesa bata gelatina diet com iogurte desnatado.

• O metabolismo noturno é mais lento. Assim, faça uma refeição mais leve neste horário, diminuindo os carboidratos. Priorize o consumo de legumes e uma proteína magra.

• Saiba diferenciar a fome da vontade de comer. Esta geralmente está associada à ansiedade.

• Nunca desista de você, muito menos daquilo que você sonha e acredita.


Juliana Falcão (MBPress)

Comente