Nova lente pode reduzir fila de transplante

Nova lente pode reduzir fila de transplante

Foto Divulgação

Você sabe o que é ceracotone? É uma doença que afina e dilata a córnea e é uma das maiores causas de transplantes entre jovens no Brasil.

Porém, uma nova terapia foi aprovada para melhorar a vista. Trata-se de uma lente de contato rígida do tipo gás permeável, que aprimora a correção visual de quem tem ceratocone avançado, astigmatismo irregular, já fez transplante de córnea, implante de anel intracorneano ou refrativa para corrigir miopia pela técnica de ceratotomia radial.

De acordo com o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, nestes casos a córnea se torna irregular e dificulta a correção visual. A nova lente respeita as características de cada olho, tratando-se, portanto, de um tratamento personalizado. Reproduz as irregularidades corneanas, não só da parte central, como também da borda, resultando em mais qualidade de visão e conforto.

O médico destaca que a periferia da córnea não se molda como o centro. Por isso, são os desajustes nas bordas que dificultam a adaptação às lentes de contato rígidas, o que é bastante comum entre portadores de ceratocone que não têm outra opção de correção visual.

A tecnologia da nova lente elimina este problema, além de permitir uma excelente oxigenação que evita ferimentos na córnea. O especialista explica que o ajuste é feito mediante topografia da curvatura corneana que é analisada com auxílio de um software. Uma caixa de provas com diferentes bordas permite testar a mais adequada para, a partir dessas informações, ser confeccionado um par de lentes.

Outro diferencial da nova lente é a correção de imperfeições do olho que torna as imagens mais nítidas. "São estas imperfeições não corrigidas que dificultam a condução de veículo durante a noite. São elas também que explicam porque algumas pessoas vêem "halos" ao redor das luzes em locais mal iluminados mesmo tendo o astigmatismo e a miopia totalmente corrigidos", esclarece.

A eliminação dessas imperfeições só é possível porque a nova lente tem um complexo desenho geométrico que regulariza e direciona a quantidade de luz que entra nos olhos.

Queiroz Neto afirma que muitos portadores de ceratocone não retiram as lentes de contato mesmo que sintam desconforto, porque não conseguem enxergar sem elas. "É um erro, porque podem ferir a córnea e ter uma baixa visual permanente decorrente da insistência em usar as lentes que leva à formação de cicatriz na córnea."


Ele lembra que no frio o tempo seco resseca os olhos e dificulta a adaptação das lentes de contato. Os sinais elencados pelo médico de que as lentes precisam ser retiradas até desapareça o desconforto são: lentes que não se deslocam nos olho; lentes que caem com facilidade; dor nos olhos; olhos vermelhos, lacrimejamento excessivo e inflamações freqüentes.

Por Carmem Sanches

Comente