Não quero passar o Carnaval menstruada!

Não quero passar o Carnaval menstruada

Foto: moodboard/Corbis

Está chegando a hora de vestir a fantasia, jogar confetes pelo ar e dançar até o dia amanhecer. Uma das festas mais animadas do ano finalmente bate à porta. E quem está de malas prontas para viajar, ou pretende cair na farra por aqui mesmo com as amigas, não quer ser surpreendida com cólicas e trocas incessantes de absorventes, não é?

E é por esse motivo que tem um monte de mulher emendando a cartela de anticoncepcional, só para não passar o Carnaval menstruada. E a notícia boa é que você pode fazer isso sim! Segundo o Dr. Amaury Mendes Jr., ginecologista, sexólogo, secretário-geral da Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana e professor e médico do Hospital da Universidade Federal do Rio de Janeiro, postergar a menstruação não faz mal.

"Esse ato não traz nenhuma consequência orgânica ruim. Se a mulher estiver com seus exames normais e em dia, não há nada que a impeça de emendar uma cartela na outra", explica. "Essa iniciativa é mais comum do que se imagina. A mulher impede o sangramento quando vai se casar, vai a um evento importante ou participar de alguma competição longa", lembra.

O especialista conta que a menstruação é estimulada pelo cérebro que produz dois hormônios, o FSH e o LH. O primeiro faz com que haja a fase proliferativa do útero, também chamada de folicular. E o LH prepara o útero para a gravidez. Nessa fase ocorre também o aumento da progesterona. Tomando a pílula a mulher engana o metabolismo, de forma que não ocorra a ovulação.

Não existe limite para as emendas de cartelas, mas há anticoncepcionais que não conseguem segurar a menstruação por muito tempo e acabam deixando escapar uma espécie de borra. "As pílulas com pequena dosagem hormonal podem ser um exemplo disso", diz Dr. Amaury.

É mais aconselhável emendar a cartela na outra do que interromper a ingestão do medicamento. Isso porque a antecipação da menstruação pode ter efeitos imprevisíveis. A mulher pode deixar seu organismo perdido, fazendo com que haja muito ou pouco sangramento, o ciclo pode ficar irregular ou ainda a usuária voltar a tomar o contraceptivo e a menstruação não parar. Por isso é sempre importante consultar o médico antes de tomar a decisão de alterar o ciclo.


"Se a mulher emendar uma cartela na outra, para regularizar o ciclo novamente basta esperar vir a menstruação e recomeçar o uso do medicamento", explica o ginecologista. "As mulheres estão desmistificando esse tema, não estão mais escravas da menstruação. Com o medicamento, passaram a ter o controle sobre seu ciclo. Elas podem optar pelo que é mais lhe é mais conveniente, desde que seja com segurança", finaliza.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente