Mitos e verdades sobre a infertilidade

infertilidade-casal

Foto - Shutterstock

Planejar filhos está cada vez mais secundário para os casais modernos. Em 1991, a média de filhos por família era de 2,9. Essa taxa vem caindo anualmente e chegou a 1,7 em 2014, segundo dados do IBGE. Os índices confirmam que, além do adiamento da decisão, a taxa de fecundidade também caiu em nosso país, ou seja: a infertilidade aumentou.

A médica Karla Zacharias, especialista em reprodução assistida, explica que há ainda muitos pensamentos equivocados em relação ao assunto. Veja quais são as dúvidas mais comuns e entenda os mitos e verdades:

VERDADE: Fumar afeta a fertilidade

“Afeta. Nos homens, atinge diretamente a produção dos espermatozóides e, nas mulheres, afeta a qualidade dos óvulos. Pesquisas clínicas comprovam que não só fumar, mas consumir bebidas alcoólicas em excesso, antidepressivos, anabolizantes e outras drogas pode cooperar para a infertilidade. Como incentivo a parar de fumar vale ressaltar que a produção dos espermatozoides pode se normalizar após três meses sem cigarros”.

MITO: o uso prolongado de pílula anticoncepcional reduz as chances de engravidar

“Não há relação e é outro equívoco bastante comum. A pílula tem baixo conteúdo hormonal e pode até contribuir com a fertilidade, ao prevenir a endometriose, por exemplo. Depois de suspender o seu uso por três ou quatro meses, a maioria das mulheres retoma sua capacidade normal de fertilidade. O que pode acontecer é esse tempo de recuperação ser um pouco mais longo, mas sem efeito negativo em longo prazo”.

VERDADE: a alimentação tem relação com manter-se fértil

“Tem relação. Uma dieta balanceada, com adição de alguns alimentos benéficos, pode ajudar o casal. Consumir ômega 3, presente em nozes, ervilhas  e peixes de água fria como salmão e sardinha, por exemplo, ajuda o sistema de reprodução. Em contrapartida, homens que consomem grande quantidade de carne, de alimentos gordurosos e de leite apresentam menor fertilidade, por causa do alto nível de hormônios destes produtos”.

MITO: o estresse do dia a dia pode contribuir para a infertilidade

 “Outro erro bastante comum. O que pode ocorrer é que a sobrecarga emocional afete o ciclo ovulatório, embora existam mulheres que enfrentam o estresse e continuam ovulando normalmente. No caso dos homens, o estresse pode provocar falta de libido e disfunção erétil”.


Por Vila Mulher

Comente

Assuntos relacionados: infertilidade