Mitos e verdades sobre a dor de garganta

Mitos e verdades sobre a dor de garganta

Sair de um ambiente quente para outro frio e seco sem se agasalhar gera mais dor?

Verdade. Essa troca resseca o muco protetor da garganta. Desidratado, ele não intercepta as partículas nocivas, que passam a agredir o local. Um casaco atenua a mudança brusca de clima.

Beber água ajuda a prevenir e a tratar o desconforto?

Verdade. O tal muco é composto de 95% de água. Na falta de líquido, essa barreira natural se torna espessa e, portanto, menos eficaz.

Dor de garganta não é contagiosa?

Mito. Como geralmente decorre de vírus ou bactérias, que transitam de uma pessoa a outra pelo ar ou por um aperto de mãos, ela pode passar, sim.

Ela pode evoluir para conjuntivite?

Verdade. Os microorganismos que atacam a faringe não têm preconceito: eles afetam qualquer mucosa, inclusive a dos olhos. Por isso, quando estiver doente, não ponha as mãos na boca e, depois, perto das pálpebras.

Tomar sorvete causa dor?

Mito. No máximo, alimentos e bebidas geladas constringem os vasos, dificultando a chegada de células de defesa. Isso, todavia, não gera irritação por si só.

Gargarejo com água morna, sal e vinagre combate os microoorganismos?

Mito. Misturas como essa alteram o pH da garganta. Como é sensível à acidez, ela pode até se irritar com o enxágue, o que só serve para piorar a infecção.

Por Jessica Moraes

Comente