Magreza demais pode prejudicar a saúde

magreza excessiva saúde

Foto: Patrick Lane/Somos Images/Corbis

Olhar para nosso corpo e não aprovar o que estamos vendo é mesmo terrível. Ninguém gosta das estrias, celulites, gordurinhas sobrando. Mas também existe o outro lado: ser magra demais, assim como estar acima do peso, pode ser desconfortável, e, pior ainda, um sinal de que alguma coisa está errada com nosso organismo.

É cada vez mais comum vermos gente abaixo do peso ideal. A nutricionista Fátima Oda Bajou conta que tem atendido vários indivíduos que precisam engordar em seu consultório, na cidade de São Paulo. "São geralmente pessoas que trabalham muito ou passam bastante tempo fora de casa, e, como consequência, se alimentam mal."

Isso é grave. Quem não tem uma dieta balanceada corre o risco de desenvolver males como anemia (por falta de ferro no sangue) e hipovitaminose (falta de alguma vitamina). "Sintomas físicos, como a queda de cabelo, unhas quebradiças e pele ressecada indicam a carência de vitaminas", afirmou Fátima. Além disso, quem precisa de mais nutrientes costuma sentir fraqueza, cansaço constante, sofrer de falta de concentração e ter baixo rendimento em atividades físicas.

Se o caso é esse, basta corrigir a má alimentação com uma boa dieta. Claro que, com o dia a dia agitado das grandes cidades, isso não é fácil. Porém, para não arriscar a saúde, vale à pena fazer um esforço e seguir à risca as orientações de um bom nutricionista.

Porém, a carência nutricional não é o único mal que pode abater alguém abaixo do peso ideal. "Quando o peso para a altura é inadequado ou o ganho de peso não é adequado, ou ainda se há perda de peso, apesar de uma alimentação adequada, ou perda de apetite, essas situações podem indicar um alerta para pesquisa de determinadas doenças ou alterações", explicou Adriana Miachon, endocrinologista e pediatra pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).

Para saber se o peso é adequado para a altura, calcule o índice de massa corporal: basta dividir o peso (em quilogramas) pela altura (em metros) elevada ao quadrado. Caso a conta dê um resultado abaixo de 18, o indivíduo precisa ganhar uns quilinhos e está sujeito aos sintomas descritos acima, como cansaço, etc.

E, algumas vezes, estar magra demais pode indicar uma doença mais séria. "Do ponto de vista hormonal, alguém abaixo de seu peso ideal pode apresentar alterações na função tireoidiana, atraso puberal ou alterações menstruais, problemas para crescer", alertou a endocrinologista.

As duas especialistas concordam que o melhor a fazer quando se percebe que está magra em excesso é procurar um médico logo de cara. "Esse profissional vai analisar a razão do problema, realizando exames físicos e, se necessário, um exame mais detalhado, como o de sangue", justificou Fátima.

"Em primeiro lugar, deve-se pesquisar e tratar a causa do ganho inadequado de peso (doença crônica, distúrbio de apetite, etc)", falou Adriana. Ela explica que, no caso do diabetes mellitus tipo 1 - que se caracteriza por deficiência da insulina e consequente aumento da glicose - além da dieta para diabético, deve-se iniciar terapia com insulina que restaura o ganho de peso. "Entretanto, os problemas hormonais em geral são secundários ao ganho inadequado de peso, e não causa deste", completou.

O segredo para quem precisa engordar é aumentar sim a quantidade de alimentos, porém a dieta precisa ter qualidade. Não adianta sair por aí comendo doces e várias frituras, pois essa atitude fará você ganhar gorduras localizadas, que, além de indesejadas esteticamente, trazem riscos à saúde.

"O correto é fazer seis refeições ao dia e ingerir alimentos mais calóricos, porém saudáveis", ensinou a nutricionista. De acordo com ela, as refeições são desjejum ou café da manhã , colação (lanchinho entre café e almoço), almoço, lanche, jantar e ceia. Ela sugeriu alimentos que podem ser ingeridos no almoço e jantar: arroz, feijão, carne, peixe, frango ou ovos, legumes, salada e uma fruta. Na hora dos lanchinhos, prefira leite, pão com margarina, queijo fresco, ricota, mel, geleia.

Praticar exercícios físicos também é altamente indicado, mas somente os anaeróbicos (como musculação), já que os aeróbicos - correr, nadar, por exemplo - ajudam a perder peso. E cuidado com os suplementos que prometem aumento de massa muscular, pois eles são ricos em aminoácidos. Se você ingerir esses nutrientes em excesso, pode ter várias consequências ruins, como sobrecarga renal, no fígado e até impotência sexual.


Mudar os hábitos alimentares e a rotina não é fácil, no entanto pode ser a diferença entre ter ou não ter saúde. Se estiver com dificuldades para ganhar peso ou abaixo de seu peso ideal, procure um especialista. Como tudo no mundo, nossos quilinhos também precisam estar em equilíbrio com nossa altura.

Por Priscilla Nery (MBPress)

Comente