Insônia frequente pode significar apneia

insonia

Foto - Shutterstock

Ronco e dificuldades respiratórias são causas conhecidas de insônia e sono de má qualidade. Porém pouca gente sabe que esses problemas podem ir muito além de uma simples sonolência diurna.

Cada vez mais comuns, quadros de apneia obstrutiva do sono (AOS) são as principais causas de doenças cardiovasculares como hipertensão arterial, arritmias, infartos e insuficiência cardíaca.

"A repetição dos episódios de apneia durante o sono tem como consequência a menor oxigenação do sangue, redundando em danos ao organismo", diz Dra. Samira Kaissar Nasr Ghorayeb, cardiologista e referência na área de distúrbios do sono. Caracterizada por paradas respiratórias noturnas provocadas pelo estreitamento das vias aéreas, a apneia do sono já afeta cerca de um terço da população mundial.

Segundo estudos, 67% dos portadores de apneia do sono apresentam hipertensão arterial. "Em muitos casos de hipertensão, o tratamento da apneia por si só é suficiente para redução e controle da pressão arterial. Com esforço, muitos pacientes conseguem deixar de tomar remédio para a pressão", diz Dra. Priscila Paiva, cardiologista.

A médica conta que o tratamento de AOS é multidisciplinar e varia de acordo com a gravidade do caso. A primeira medida é reduzir os fatores agravantes, como excesso de peso, uso de bebidas alcoólicas, calmantes, relaxantes musculares e cigarro, principalmente antes de dormir.

Outros fatores que podem causar distúrbios respiratórios durante o sono são obstrução nasal, refluxo gastroesofágico e hábito de dormir de barriga para cima. "É sempre melhor dormir de lado, o ar flui mais facilmente", ensina Dra Priscila.

Se a redução dos fatores agravantes não for suficiente, é possível recorrer a próteses orais que facilitam a passagem do ar. Outra opção de tratamento são os chamados CPAPs, aparelhos que mantêm pressão positiva e contínua sobre as vias aéreas, evitando sua obstrução. Há situações, porém, em que cirurgias são necessárias.

Nos adultos, cinco ou mais episódios de 10 segundos da suspensão da respiração por hora de sono caracterizam quadros de apneia. Já nas crianças, bastam 2 ou 3 segundos de parada respiratória para o sangue dar sinais de falta de oxigênio. Se você apresenta esses sintomas, procure um médico. Só ele pode te indicar o tratamento adequado.


Por Vila Mulher

Comente

Assuntos relacionados: sono apnéia insônia dormir