Insônia - distúrbio do sono mais comum entre as mulheres

Distúrbios do sono prejudicam a saúde

Os distúrbios do sono podem causar doenças e afetam a qualidade de vida. Esses distúrbios agravam-se com a idade. Dormir bem garante disposição suficiente para suportar um dia cheio de atividades, gera bem estar e preserva a saúde.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que cada indivíduo durma no mínimo sete horas por noite para que o corpo funcione de maneira adequada. "Quem não dorme direito e sofre com os distúrbios do sono deve buscar ajuda especializada para diagnosticar e tratar o problema, já que as consequências são extremamente danosas para o organismo", destacou Gerson Köhler, ortodontista e ortopedista facial.

Dados da Associação Mundial de Medicina do Sono apontam que 45% da população mundial sofre com algum problema relacionado ao sono e o distúrbio mais comum nas mulheres é a insônia, enquanto o ronco e a apnéia atingem mais os homens. Entre as crianças o sonambulismo é predominante. "Além destes males, os distúrbios do sono incluem sonolência excessiva diurna, síndrome das pernas inquietas e outros", pontuou Gerson.

O especialista afirmou que o ronco é, quase sempre, um anúncio de que o indivíduo poderá sofrer em breve com episódios de apnéia obstrutiva do sono, distúrbio caracterizado pela cessação da respiração enquanto a pessoa dorme. "O ronco é a manifestação mais conhecida dos distúrbios respiratórios do sono. É um sintoma que não é e nunca foi algo normal e que é considerado um alerta principalmente para a apnéia. A interrupção da respiração é responsável por uma série de alterações no organismo", enfatizou.

Entre os malefícios da apnéia estão a menor oxigenação no cérebro e em outros órgãos, distúrbios orgânicos do comportamento, sonolência excessiva, problemas na memória, dificuldades de concentração, obesidade e fadiga crônica. "A apnéia ainda pode causar depressão, ansiedade, impotência sexual, redução da libido, alterações na personalidade, problemas cardiovasculares, redução da qualidade e da quantidade de vida e pode levar o indivíduo à morte, literalmente por asfixia", alertou.

O especialista em ortodontia e ortopedia facial Juarez Köhler observa que diferentes sintomas podem revelar o problema. "Lapsos de memória, cansaço, adormecimento em qualquer lugar durante os momentos de descanso, redução do desempenho nas atividades intelectuais, falta de ânimo, explosões temperamentais e perda do interesse sexual são os sintomas mais percebidos pelos especialistas nos pacientes diagnosticados com apnéia", ressaltou.

Juarez explica que o ronco e a apnéia não surgem de um dia para o outro, de forma súbita, mas se instalam aos poucos no indivíduo, que não percebe o risco a que está exposto. A gravidade do problema se intensifica com o passar do tempo e a falta de tratamento adequado. "Normalmente os pacientes relatam que já roncavam há vários anos. Atualmente, o ronco e a apnéia são considerados um mesmo contínuo, que tem em comum a respiração incorreta, realizada pela boca ao invés do nariz", acrescentou.


Mas se você tem problemas com ronco, saiba que os distúrbios do sono têm solução e existem diversas formas de tratamento, prescritas conforme as características de cada caso. "A medicina do sono e a odontologia do sono contribuem muito para a qualidade de vida destas pessoas. As doenças raramente surgem devido a apenas uma alteração fisiológica no organismo. Normalmente as causas são múltiplas, associadas entre si e que são potencializadas progressivamente, causando um desequilíbrio do controle do metabolismo corporal", finalizou Juarez.

Por Catharina Apolinário

Comente