Hormônio masculino emagrece, mas é temporário

Hormônio masculino emagrece mas é temporário

Foto: FreeDigitalPhotos http://bit.ly/JHVdLe

Estudo divulgado durante o Congresso Europeu de Obesidade, ocorrido em Lyon, na França, aponta que homens mais velhos com níveis baixos de testosterona podem perder peso tomando suplementos do hormônio masculino.

Durante cinco anos foram aplicadas injeções de testosterona em 115 homens de 61 anos, com produção insuficiente do hormônio. Eles emagreceram, em média, 16 quilos. O hormônio masculino ainda melhorou a energia e a motivação para a realização de exercícios físicos.

Porém, antes que vire moda também entre as mulheres, enlouquecidas pela boa forma, é preciso alertar que a utilização para emagrecer merece cautela, segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), oncologista Dr. Anderson Silvestrini. Isso porque o hormônio esteróide, secretado pelos testículos do homem e, em menor quantidade, pelos ovários da mulher, afeta o desenvolvimento cerebral e o comportamento sexual, e tem sido vinculado ao câncer de próstata e a doenças cardíacas.

"A testosterona sintética é uma droga que pode trazer sérios efeitos para a saúde. Como tratamento em massa para a obesidade não é significativa. Não se deve correr o risco de desenvolver câncer de próstata ou doença cardíaca por um pouco de perda de peso. Que, além de tudo, não será duradoura, só permanecerá enquanto se estiver tomando o hormônio", comenta o especialista.

O oncologista adverte que é fundamental manter o peso sob controle, mesmo porque homens com sobrepeso de mais de 20 quilos têm duas vezes mais chances de desenvolver tumor de próstata. A informação é de um estudo recente realizado por cientistas australianos e publicado pela Revista Internacional do Câncer. Foram analisados os casos de 17 mil homens entre 40 e 69 anos de idade.

Silvestrini explica que assim como os hormônios, a quantidade de células de gordura é responsável pelo desenvolvimento da doença. "O excesso de gordura desequilibra o metabolismo e, dessa forma, altera também os níveis de testosterona, fazendo com que as células saudáveis sejam agredidas e transformadas em precursoras de um tumor."


Se obesidade pode vir a provocar câncer, tomar hormônios para emagrecer também não é indicado. Então, qual seria a solução? Especialista reforça que não há receita mágica: "alimentação saudável somada à prática regulares de exercícios físicos é essencial para o combate à obesidade e ajuda a evitar não só o câncer de próstata como uma série de outras doenças."

Por Carmem Sanches

Comente