Gordorexia não tem reconhecimento da OMS

Gordorexia não tem reconhecimento da OMS

A maioria das mulheres costuma se queixar dos quilinhos a mais, da calça jeans que não fecha ou do vestido que não abotoa. Por outro lado, há pessoas que não se dão conta do excesso de peso. Elas se olham no espelho se veem magras, quando na verdade estão acima do peso. Essa situação é chamada popularmente de gordorexia. Definida como um transtorno de imagem que atinge pessoas acima do peso ou obesas, a gordorexia não é reconhecida pela Organização Mundial de Saúde.

De acordo com o Dr. Ricardo Cohen, presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), algumas pessoas desenvolvem problemas com a autoimagem. "Às vezes, a pessoa engorda devido a um motivo pontual, mas no geral, o peso corporal vai aumentando lentamente, em decorrência de alimentação inadequada e falta de atividade física, muitas vezes reforçada por fatores genéticos. Logo, a pessoa não percebe que está dez, vinte, até trinta quilos acima do peso", afirma Dr. Ricardo.

O especialista conta que essas pessoas podem se dar conta do sobrepeso somente ao ver sua imagem em vídeos ou fotografias. De acordo com o Diretor de Psiquiatria e Transtornos Alimentares da Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica), Adriano Segal, em alguns casos é possível que a obsessão por estar no peso ideal possa ser mais prejudicial do que o próprio sobrepeso. "Isso se, claro, esse excesso de peso não estiver associado a doenças com obesidade, pressão alta e colesterol", esclarece o psiquiatra.

"A dificuldade que obesos têm para atingir e manter um peso normal é decorrência de fatores genéticos, alterações hormonais e questões comportamentais e psicológicas", afirma Dr. Ricardo Cohen. "Muitas pessoas tentam emagrecer sozinhas, cortando doces, apelando para dietas da moda ou para a automedicação. O resultado é sempre insatisfatório, quando não causa o efeito oposto (engordar), além de colocar a saúde em risco. O tratamento clínico com acompanhamento especializado é sempre a primeira indicação para uma perda de peso saudável e duradoura", completa.

Mesmo que você não se sinta incomodada com a aparência física, por estar acima do peso, é preciso cuidar da saúde. O IMC de uma pessoa saudável deve ser entre 18,6 e 24,9 kg/m².


Qualquer número cima ou abaixo desse parâmetro é um indício de que algo não está bem. A medida da cintura também não deve passar de 102 cm para homens e 88 cm para mulheres. Dr. Cohen esclarece: "Porém, mais importante do que a aparência física, é olhar os resultados dos exames clínicos do paciente, como glicemia, ácido úrico, pressão arterial, triglicérides e colesterol".

Sobre esses possíveis males o especialista recomenda: "É sempre melhor agir de forma preventiva, tomando medidas para redimir a obesidade quando ela ainda não é severa e evitando maiores problemas a logo prazo. A recomendação é que o paciente com sobrepeso ou obesidade procure seu médico para uma avaliação".

Por Bianca de Souza (MBPress)

Comente