Fitoterápicos ajudam a manter população saudável

Fitoterápicos ajudam a manter população saudável

Foto/ Divulgação

As plantas medicinais, já utilizadas pelos índios, ajudam a reduzir custos com a saúde. Incluir fitoterápicos no SUS contribui para ter uma população mais saudável. As plantas medicinais são caracterizadas como espécies vegetais que podem ou não ser cultivadas e que são usadas com propósitos terapêuticos.

Há quem prefira aproveitar o que a natureza oferece em medicação, ao invés de fazer tratamentos com químicos, que são os remédios tradicionais. José Airton da Silva, terapeuta que atua com fitoterapia, estética corporal e terapia ortomolecular e faz parte do Sindicato dos Terapeutas do Estado do Rio de Janeiro (Sinter-RJ) explica que a chamada fitoterapia é um tratamento terapêutico feito com estes elementos naturais.

Dezesseis estados brasileiros disponibilizam tratamentos fitoterápicos para toda a população por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). A principal vantagem para o poder público é a redução dos custos com a saúde. Os fitoterápicos são mais baratos e podem ser uma alternativa para atender a todos, incluindo a população carente, que adoece com mais frequência. "A disseminação das práticas que utilizam plantas medicinais e remédios caseiros contribui para a prevenção de doenças e a promoção da saúde dos brasileiros", acrescentou Paulo Edson Reis Jacob Neto, terapeuta ortomolecular e presidente do Sinter-RJ.


Mas, assim como os medicamentos convencionais, os fitoterápicos também podem apresentar efeitos colaterais. "Por isso é importante que a manipulação seja feita por profissionais especializados e é necessária orientação médica", observou. Reações alérgicas, efeitos tóxicos em órgãos e até mesmo o desenvolvimento de certos tipos de câncer estão ligados à utilização inadequada dos fitoterápicos, especialmente em casos de automedicação. "O uso adequado dos produtos naturais e o acompanhamento de um especialista proporcionam uma série de benefícios à saúde, como o combate a doenças alérgicas, traumas, disfunções metabólicas, infecções e outros males que prejudicam o equilíbrio do corpo humano e favorecem o surgimento de enfermidades", destaca Paulo.

Por Catharina Apolinário

Comente