Endometriose intestinal

endometriose intestinal

A endometriose é uma doença crônica na qual o endométrio, tecido localizado habitualmente dentro do útero, encontra-se fora da cavidade uterina.

Algumas vezes é encontrada na parede do intestino, denominada endometriose intestinal. Segundo a ginecologista do Centro de Endometriose São Paulo, Ana Rosa Neme, estima-se que a endometriose atinja, pelo menos, de 10 a 15% em mulheres em idade reprodutiva no mundo, mas acredita-se que, atualmente, este número seja superior a 20%.

Devido a sua elevada incidência, é a doença ginecológica mais estudada nos dias atuais. "O estresse leva a uma diminuição da imunidade, de um lado. Do outro lado, o aparecimento da doença também está ligado a um distúrbio de defesa do organismo. Desta forma, temos uma conjunção dos fatores que contribuem para o desenvolvimento da endometriose", revela a especialista.

Rosa Maria explica que essa doença depende da ação do estrógeno, principal hormônio feminino produzido pelo ovário enquanto a mulher menstrua e responsável pelas características femininas, para seu desenvolvimento. Esse distúrbio é também chamado de "doença da mulher moderna" - a mulher que tem menos filhos e engravida mais tarde, consequentemente apresenta o estímulo do estrógeno por maior período de tempo e, além disso, está exposta a um maior nível de estresse.

Não se sabe qual a causa exata da endometriose. Atualmente acredita-se que seja uma doença que tem um componente genético associado e que uma alteração da defesa do organismo da mulher, faça aparecer a doença.

Os principais sintomas são a cólica menstrual, a infertilidade, a dor para ter relação sexual, as alterações do intestino em casos de endometriose que envolve o intestino (como diarréia, intestino preso, sangramento anal), alterações da bexiga e vias urinárias na época da menstruação em casos de endometriose que envolve o trato urinário (aumento do volume das micções, dor ao urinar) e dor contínua, independente da menstruação, principalmente em casos de endometriose mais avançada, com grande quantidade de aderências dos órgãos pélvicos.

Em geral, a doença é descoberta pelos sintomas de dor ou infertilidade, que acabam levando a mulher a procurar o médico. Sengundo Rosa Maria Neme, o tratamento deste tipo de endometriose é apenas cirúrgico.


No entanto, alguns hábitos podem ajudar na prevenção da doença. "O que aconselhamos é que a mulher procure um ginecologista diante do aparecimento de qualquer sintoma que possa sugerir a endometriose. Além disso, a mulher moderna deve cuidar muito bem de sua saúde. Deve cuidar da alimentação, do sono e, principalmente, praticar exercícios físicos, que controlam não somente o estresse, mas que também agem diretamente sobre ela, já que aumentam a concentração de endorfina produzida pelo corpo (hormônio que dá sensação de bem estar à mulher), esta agindo no ovário, diminuindo a produção do estrógeno. Com isso, há menos estrógeno e, consequentemente, menos atividade dos focos de endometriose", ressalta a ginecologista.

Por Jessica Moraes

Comente