Cuidados ao comer fora de casa

Cuidados ao comer fora de casa

Comer fora de casa é um hábito comum para quem trabalha fora. Restaurantes por quilo ou self-service são boas opções para quem não tem tempo de ir para casa e preparar sua comida.

Contudo, é preciso estar atento às condições de higiene do local freqüentado e o estado do dos alimentos, afinal, o perigo de contaminação e intoxicação alimentar é uma possibilidade.

Maria Cecilia Brito, diretora da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), explica que o tempo e a temperatura são fatores imprescindíveis na hora de avaliar a qualidade do que será consumido em bufês.

Isso se deve ao fato dos alimentos ficam expostos, muitas vezes por horas, ficando sujeitos à contaminação por bactérias.

Um pedaço de alimento contaminado dentro do estômago é suficiente para o organismo produzir alguns dos sintomas mais comuns da intoxicação alimentar: náusea, vômito, dor abdominal e diarreia.

Alimentos à base de proteínas, (que levam leite, ovos e carne) são os mais propensos à contaminação. Quanto à famosa maionese, somente a versão caseira (que leva óleo e ovos na receita), oferece risco de contaminação. O produto industrializado, vendido em supermercados, não contém ovo e por isso não está exposto à bactéria salmonela, que é a causa mais comum das doenças alimentares.

No caso de lanches no comércio ambulante, prefira usar maionese, catchup e mostarda em sachês. Observe as condições de limpeza, manutenção e organização do ponto. Veja se o vendedor usa uniforme e protetor de cabelos e se tem pinça ou espátula para virar o lanche na chapa. A Anvisa não recomenda o uso de luvas.

A seguir, mais algumas coisas importantes para observar antes de se servir:

- Prefira restaurantes bem arejados e iluminados. Além de banheiros limpos, veja se as toalhas das mesas estão limpas, observe o estado de conservação de louças e talheres e se a pia tem sabonete líquido e toalhas descartáveis.

- Na hora da reposição dos pratos, observe se os funcionários usam touca para proteger os cabelos.


- Verifique se os pratos quentes estão em balcão térmico com temperatura entre 60°C e 80ºC. Isso reduz as chances de proliferação de bactérias. O consumidor tem como saber se a estufa está em temperatura apropriada ao encostar a mão no vidro, se estiver bem quente, o risco é zero. Iogurte, queijos, frutas fatiadas e saladas devem ficar nos equipamentos refrigerados.

- Veja se os balcões possuem anteparos de vidro. Eles ajudam a proteger a comida contra eventuais descuidos de quem está se servindo (espirros e tosses).

- Visitar a cozinha dos estabelecimentos é um direito do consumidor e uma forma de identificar possíveis maus hábitos dos funcionários.

Por Jessica Moraes

Comente