Cuidado com os óculos de sol

cuidado com os óculos de sol

Hoje existem óculos de sol dos mais variados modelos e estilos que podem ser encontrados em vários lugares, de vários preços. Mas será que vale a pena gastar pouco e por em risco a saúde da visão?

A luz do sol por mais que seja fundamental aos seres humanos, possui raios invisíveis que são prejudiciais à pele e aos olhos. São os raios ultravioleta e infravermelho que mesmo em dias nublados estão presentes.

O médico oftalmologista Matta Machado explica que a luz ultravioleta pode causar degeneração macular e provocar câncer de pele. É a doença da parte mais importante da retina (responsável pela visão de detalhes e cores), e também pode causar lesão nas lentes oculares. A luz infravermelha também pode provocar queimaduras.

"Na córnea a exposição inadequada ao sol provoca uma afecção muito desconfortável e comum, com sensação de areia, olhos vermelhos e intolerantes à luz. No cristalino o prejuízo é maior: catarata. Está comprovado que a incidência de catarata é seis vezes maior nas pessoas expostas sem proteção à luz ultravioleta", revela Machado.

Por essa razão ele destaca a importância de saber comprar óculos esculos adequados. Segundo o oftamologista, nem todos os óculos de sol têm filtro antiluz ultravioleta (100% UV). É perigoso comprar qualquer armação vendida na rua, pois uma etiqueta colada à lente não é garantia de proteção. "Infelizmente, óticas conhecidas e marcas de renome não asseguram esta qualidade", afirma.

O especialista ainda acrescenta: "Seria menos prejudicial se expor à luz com os olhos nus porque, ao se fecharem as pupilas, diante do ambiente claro, estará introduzida uma proteção natural que minimiza a quantidade de luz UV que atinge o interior dos olhos".

O espectro-radiômetro é um equipamento que mede o percentual filtrante de uma lente e dessa forma haveria como saber se determinados óculos têm realmente um bloqueio UV. "Mas como isto é raro no Brasil, a gente acaba se conformando com apenas a subjetiva sensação de conforto e proteção que lentes de qualidade oferecem. E com a ausência de sinais clínicos oftalmológicos de foto-agressão", conclui Matta Machado.

Por Jéssica Moraes

Comente