Cuidado com a desidratação no verão

Através da água e dos alimentos, você pode garantir sua saúde durante toda a estação

A hidratação é fundamental para a boa saúde nos dias de sol. Foto: iStock_LuckyBusiness

O verão traz um vilão que muita gente não dá importância: a desidratação. E para quem acha que não é nada, a desidratação em situações graves pode causar perda da consciência, convulsão e até coma.


Para não chegar a níveis extremos é preciso tomar alguns cuidados. Felizmente, o próprio corpo dá sinais de que precisa de ajuda. Quando ele está desidratado, os principais sintomas dependem do grau de desidratação, que pode ser medida em três níveis: leve, moderada e grave. No nível leve, os sinais mais básicos de desidratação são sentir a boca e a pele secas, o que muita gente acha normal, mas não é. Nesse caso já faz-se necessário recorrer a um copo d’água.

© Philipp Nemenz/Corbis

Os sintomas de uma desidratação moderada são dor de cabeça, sonolência, tontura ou fadiga. A solução é tomar água de meia e meia hora e água de côco pode ser ainda uma melhor opção, já que repõe também os eletrólitos.

Quem pensa que tomar água em excesso nesses casos resolve, está enganado. Beber água demais faz os rins excretarem mais água através da urina, trazendo mais dificuldades para a pessoa se reidratar.

Numa desidratação de nível grave, os sintomas podem ser temperatura corpórea levemente baixa, respiração pesada, pele fria e pegajosa, câimbras musculares, vertigens, vômitos e desmaios. Nessa circunstância água não basta, pois a pessoa já perdeu os sais minerais. O ideal é tomar soro fisiológico.

Para evitar o susto, cuide sempre da sua hidratação, principalmente em dias mais quentes. Através da água e dos alimentos, você pode garantir sua saúde durante toda a estação. O ideal além de beber água com regularidade é consumir frutas com alto teor de água, como abacaxi, melancia, melão e as frutas cítricas.