Contracepção contínua

Contracepção contínua

Imagine viver sem os incômodos da menstruação todos os meses... Nada de cólicas,dores de cabeça, irritação, depressão. Pois saiba que, por meio da contracepção contínua, hoje em dia inúmeras mulheres já vivem sem estes problemas.

Segundo uma grande corrente de médicos ginecologistas, viver sem menstruar é possível, não faz mal a saúde e pode ser indicado em muitas situações. O método mais utilizado para evitar a ocorrência da menstruação é o uso da pílula anticoncepcional ininterruptamente, durante todos os dias do mês.

As indicações para a contracepção contínua são muitas. "Dependendo da atividade profissional desempenhada pela mulher ou de práticas esportivas, por exemplo, optar por métodos que evitem a ocorrência da menstruação, na verdade, é uma grande conveniência", diz o Dr. Achilles Cruz, especialista em ginecologia e obstetrícia pelo Hospital das Clínicas, da Faculdade de Medicina da USP. "Mas também existem as indicações clínicas, como os sintomas relacionados à síndrome pré-menstrual, que são a irritabilidade, ansiedade, compulsão alimentar, entre outros". Patologias como endometriose e miomas também são, segundo Dr. Achilles, indicações para o tratamento por meio da contracepção contínua.


Contraindicações? Valem as mesmas considerações para as pílulas usadas no regime convencional com pausa. "Dizer que viver sem menstruar é prejudicial à saúde é um mito. Na verdade, o natural de toda mulher é não menstruar tanto ao longo da vida. As mulheres de décadas passadas não menstruavam tanto como as do nosso tempo. Elas casavam-se mais cedo, tinham mais filhos, amamentavam e, por isso, menstruavam menos. Hoje em dia, as mulheres têm menos filhos, menstruam mais cedo e chegam à menopausa mais tarde. Muitos estudiosos dizem até que há patologias decorrentes do excesso de menstruações durante a vida. Na verdade, nunca ouvimos tanto falar de endometriose como nos últimos tempos".

Mulheres que optam pela contracepção contínua por meio da pílula e desejam engravidar, diz o Dr. Achilles, não enfrentam dificuldades devido ao método. "Basta parar de tomar a pílula. A reversibilidade para o estado em que a mulher possa engravidar é bastante rápida".

Por Adriana Cocco

Comente