Conjuntivite alérgica na primavera

conjuntiviteprimavera

Foto - Shutterstock

A primavera traz a beleza e o colorido das flores, mas também, é uma das estações mais propícias para a condição de olho seco e conjuntivites alérgicas.

Nesta época, é necessário adequar alguns hábitos, já que o clima fica mais seco e o pólen começa a buscar meios de reprodução. Além disso, a situação piora, pois esses elementos se misturam com o pó das ruas, principalmente neste momento de estiagem.

Segundo o oftalmologista Richard Yudi Hida, durante a estação é preciso ficar atento, já que os olhos ficam muito mais expostos aos processos da natureza. Alguns dos diagnósticos mais frequentes são a Síndrome do Olho Seco e as conjuntivites alérgicas.

"O olho seco é o segundo maior motivo de procura nos consultórios oftalmológicos, depois de refração, nesta época do ano. A enfermidade vem atingindo cada vez mais pessoas que moram nos grandes centros urbanos, por conta das condições ambientais, como a combinação do ar seco, ar condicionado, poluição e a polinização de alguns tipos de plantas", destaca.

Ainda segundo o médico, os casos de alergias oculares também aumentam expressivamente, trazendo riscos ainda maiores para as pessoas que já apresentam quadros alérgicos como bronquite, asma e rinite, doenças que podem aparecer associadas à chamada conjuntivite alérgica primaveril.

"Os sintomas desse processo alérgico incluem principalmente a coceira e, consequentemente, a irritação nos olhos, lacrimejamento e vermelhidão. Este tipo de conjuntivite, no entanto, não é contagioso. Tarefas que exponham o indivíduo a substâncias irritantes, como fumaça, pós, lãs ou agentes químicos, precisam ser evitadas, pois agravarão o quadro", esclarece Dr. Richard.

A conjuntivite pode ser causada, também, por vírus e bactérias. Nestes casos, a doença é altamente contagiosa e pode ser transmitida pelo contato direto com as mãos, com a secreção ou com objetos contaminados. "Qualquer que seja o caso deve-se procurar um oftalmologista para que seja feito o diagnóstico e o tratamento adequado", finaliza o especialista.


Por Vila Mulher

Comente

Assuntos relacionados: conjuntivite primavera