Conheça a relação entre obesidade e carga glicêmica

frutas cargas glicemicas

Depois de conhecermos o índice glicêmico, que mede a velocidade com que cada alimento aumenta os níveis de glicemia, surge agora a carga glicêmica.

A carga glicêmica avalia as alterações na glicemia causadas por uma determinada porção do alimento. Afirmamos então que a obesidade tem causas diversas, pois envolve muitos fatores.

Como o açúcar, ou melhor, os carboidratos são os primeiros nutrientes que o organismo busca para produção de glicose e sua importância na vida das pessoas é muito grande, vamos detalhar os processos que acontecem com seu uso.

O açúcar não contém nutriente algum e por isso é digerido quase que instantaneamente, elevando a taxa de glicose no organismo. Essa elevação de glicose faz com que aumente a secreção de insulina pelas células do pâncreas. Esta por sua vez é responsável por jogar glicose para o interior das células onde será metabolizada para se transformar em energia.

Insulina em excesso pode baixar as taxas de glicemia rápido demais, o que gera fome novamente. É o que observamos quando comemos massa, logo ficamos com fome. Ora quanto mais se come mais se engorda.

Existe o risco ainda do desenvolvimento de uma condição chamada resistência à insulina, que pode levar ao quadro de diabetes. Todos os alimentos que contêm carboidratos aumentam a glicemia sem exceção, mas cada um apresenta uma carga glicêmica, dependendo da forma de preparo, da combinação com outros nutrientes como gordura, fibras insolúveis e proteína. Por exemplo, a batata cozida apresenta maior carga glicêmica que a batata frita, porque é isenta de gordura.

Para emagrecer, entre outras recomendações, é aconselhável utilizar alimentos com baixa carga glicêmica. Na internet você poderá encontrar tabelas de comparação entre alimentos com índice glicêmico e carga glicêmica.

Essa redução de carboidratos para emagrecer é um tanto trabalhosa, a maioria das pessoas “aprendeu” a comer alimentos adocicados desde a infância. Alimentos adocicados ajudaram a sobrevivência de nossos ancestrais, que diferenciavam alimentos saudáveis dos venenosos. Antes se comia poucos carboidratos e hoje a oferta deles é muito grande, principalmente entre as crianças.

O ideal para emagrecer é ingerir carboidratos bons como os das frutas, das verduras e dos legumes e muito pouco os processados.

Por Dr. José Rui Bianchi

Médico psiquiatra e Autor do livro

"Emagrecer também é Marketing" - DVS Editora

Comente

Assuntos relacionados: saúde carboidrato açúcar glicose nutrientes