Como se preparar para ir ao dermatologista?

dermatologista

Shutterstock

A dermatologia é uma especialidade da medicina que cuida não só do maior órgão do corpo humano, a pele, mas também dos cabelos, unhas e mucosas, de forma clínica, cirúrgica e cosmética.

As principais queixas e doenças no consultório de dermatologia vão desde queda de cabelos, manchas na pele, micoses, sardas, verrugas, rugas a suspeita de câncer de pele. Para esclarecer as dúvidas e aproveitar ao máximo uma consulta, o dermatologista do Hospital e Maternidade São Cristóvão, Rodrigo Motta, explica a rotina e quais são as dúvidas mais importantes para se tirar durante uma consulta.

Inicialmente a preparação para a consulta dermatológica deve ocorrer antes do encontro com o médico, segundo orienta Motta. "Lembre-se de não comparecer usando bases e esmaltes, maquiagem, cabelo molhado e roupas que sejam difíceis de despir". É comum alguns pacientes terem inúmeras queixas, muitas delas estéticas e estarem ansiosos para tratar tudo ao mesmo tempo, "É preciso calma e avaliar prioridades. A rotina de tratamentos dermatológicos exige disciplina, e muitas vezes além de tempo, exigem uma dedicação financeira. O ideal é começar aos poucos e ir se adaptando as rotinas de tratamentos dermatológicos para que não seja um ritual caro, cansativo e difícil de ser realizado", explica o dermatologista.

Geralmente a consulta dermatológica se inicia com a anamnese. "Trata-se de uma pequena avaliação realizada pelo médico, em que perguntamos detalhes sobre as queixas, sintomas, duração das lesões etc. Buscamos informações que ajude no diagnóstico", diz Motta.

Caso seja relevante o médico perguntará sobre a doenças existentes e uso de medicações. "É importante sempre levar exames anteriores e o nome dos medicamentos em uso. Não omita informações, fale ao seu médico tudo que possa ser relevante, por exemplo: uso de anticoncepcional, amamentação, gravidez, uso de drogas, anabolizantes, casos de câncer de pele na família etc", afirma.

A segunda parte da consulta é o exame físico, em que a queixa será examinada. "É o momento em que observamos a razão da reclamação do paciente, caso seja necessário pode ser usado um dermatoscópio para análise detalhada de lesões de pele, mais conhecidas como pintas suspeitas. Dependendo do caso podemos solicitar a realização de exames complementares como o de sangue, micológico direto, cultura de fungos e biópsias de pele" explica o médico.

No término da consulta é hora de seguir a conduta médica com a prescrição do tratamento e orientações, que são extremamente importantes na dermatologia. "Fique sempre atento às pintas e sinais na pele que apareçam rapidamente, apresentem sangramento, que mudem de cor, não cicatrizem, irregulares ou muito grandes. Podem ser sugestivos de câncer de pele e precisam ser avaliados" orienta.


Por Vila Mulher

Comente

Assuntos relacionados: saúde dermatologista notícias dermatologia