Comissão vai lutar por projetos de lei contra a obesidade

Comissão contra a obesidade

Um novo grupo foi criado pela Associação Médica Brasileira (AMB) a fim de reduzir a taxa de obesidade na população brasileira. Além de tratar do problema instalado no país, a Comissão de Prevenção e Combate à Obesidade tem por objetivo analisar as causas e agir de forma preventiva, cortando o problema pela raiz.

Encarado apenas como fator estético, o excesso de peso é um problema sério de saúde pública. Segundo Institutos Internacionais de Saúde, no Brasil, cerca de 40% da população, somando mais de 65 milhões de pessoas, apresentam excesso de peso. Dados ainda mais alarmantes apontam 10% dos adultos como obesos e revelam que as mulheres sofrem mais desse problema que os homens, sendo, respectivamente, 7% a 8%.

Dentre as principais causas da obesidade encontra-se a alimentação, no que diz respeito ao consumo excessivo de açúcar, gordura e até mesmo a compulsão, o sedentarismo e o stress, devido à tensão psicológica e à depressão.

Segundo Rogério Toledo Júnior, membro da Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG) e coordenador da Comissão de Prevenção e Combate à Obesidade, atualmente, são consumidos quase 20% a mais de gorduras saturadas e açúcares industrializados.

A fim de reduzir tais porcentagens e levar mais informações à população sobre os problemas da obesidade, a comissão funciona da seguinte forma: haverá uma reunião com todas as sociedades médicas, na qual cada representante vai expor como o excesso de peso afeta diretamente a sua área. Por exemplo, para a Sociedade de Cardiologia Brasileira, a obesidade é um problema porque causa hipertensão e insuficiência coronária.

"Essa união vai possibilitar que analisemos o excesso de peso em conjunto e, assim, torne viável fazer um único plano de ação em conjunto com o Ministério da Saúde, afinal, é de interesse de todos exterminar a obesidade do país", explica Toledo Júnior.

O coordenador afirma que o trabalho proposto pela comissão é algo nunca visto anteriormente no país, tendo em vista que não será um esforço apenas para tratar da obesidade no país, mas sim para a prevenção e extermínio do problema. "O excesso de alimentação nos primeiros anos de vida aumenta o número de células adiposas, um processo irreversível, que é a causa principal da obesidade para toda a vida", acrescenta.

Além disso, vale lembrar que, para que a taxa de obesidade seja reduzida no Brasil, é preciso que exista uma conscientização da população sobre como se alimentar corretamente, com acesso a nutrólogos e informações amplas.


"Vamos elaborar projetos de leis e emendas visando à redução da obesidade na população brasileira. Queremos iniciar campanhas educativas para dar maior informação a todos, porque a obesidade é um problema crônico e muito grave", finaliza Rogério Toledo júnior.

Por Carolina Pain (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: saúde obesidade excesso açúcar