Cistite Recorrente

Cistite Recorrente

Mulheres que têm cistite (presença de bactéria na urina) mais de três vezes em um ano ou duas vezes em um semestre possuem o diagnóstico de cistite recorrente.

A persistência bacteriana geralmente traduz uma anomalia do trato urinário, tratamento incorreto, existência de focos crônicos ou presença de corpos estranhos (cálculos ou sondas). Pacientes com cistite reclamam da freqüência, da urgência e da dor que sentem ao urinar.

Estima-se que metade das mulheres tenha a doença, pelo menos, uma vez na vida, sendo que 20% desse total enfrentam o problema mais de uma vez. É importante que as pacientes sigam uma cartilha de bons hábitos para evitar a recorrência. Um deles é segurar a vontade de ir ao banheiro urina, o que pode ser prejudicial e aumentar o risco de cistite.

Outro ponto importante é a atividade sexual. Recomenda-se que as mulheres urinem antes e depois do ato sexual, porque a penetração facilita a entrada de bactérias na bexiga. Para isso é indicado o uso de preservativo em todas as relações.

Também é importante tomar água para aumentar o volume da bexiga e, com isso, urinar com mais freqüência, pois é justamente ao urinar que as bactérias são expulsas do organismo.


A mulher com "bexiga caída" tem mais chances de ter cistite recorrente por falta de sustentação muscular e dos ligamentos que mantém a bexiga no lugar, isso acontece muito frequentemente na menopausa e nas pacientes que tiveram muitos partos por via vaginal. Sendo assim, as mulheres que se identificam com essa situação devem procurar seu médico para um tratamento adequado.

Por Dra. Maria Cecilia Hessel Lopes, ginecologista/obstetra. Título de especialista ( TEGO) 0674/2004. Especialização em Endócrino-Ginecologia pela USP. Pós graduação em Sexualidade Humana pela USP, MBA Executivo da Indústria Farmacêutica pela FGV/ SP, Especialização em Pesquisa Clínica pela INVITARE- SP.

Comente

Assuntos relacionados: saúde equilíbrio cistite cistite verão