Chocolate amargo ajuda na prevenção de ataques cardíacos

Chocolate amargo pode previne ataques cardíacos

Foto: FreeDigitalPhotos http://bit.ly/JHVdLe

Boa notícia aos chocólatras. Pesquisadores na Austrália descobriram que comer diariamente um pedaço de chocolate amargo ao longo de dez anos pode prevenir infartos e também reduzir "significativamente" os riscos em pacientes com problemas cardiovasculares.

O estudo, feito com pouco mais de 2.000 australianos na Universidade Monash, em Melbourne, e publicado no "British Medical Journal", mostrou que o consumo de 100 gramas de chocolate com percentuais de 70% ou mais de cacau é uma medida eficiente para reduzir possíveis problemas no coração.

"Nossa descoberta indica que o chocolate amargo pode prover uma alternativa ou ser usado como uma droga complementar em pessoas com alto risco de doenças coronarianas", afirma a pesquisadora líder do grupo, Ella Zomer.

Todos os modelos utilizados foram baseados nos fatores de risco clássico, variando desde pessoas com pressão alta, a colesterol alto e obesidade.

As projeções de mortes prováveis e outras ocorrências não-fatais tiveram uma notável diferença entre os que comeram o chocolate amargo e os que não comeram. "Um dos chamarizes desse estudo é que é uma dieta alternativa que chama a atenção de muita gente", completa o pesquisador Chris Reid.

Chocolates com alto percentual de cacau contém antioxidantes chamados polifenóis, que ajudam a manter os vasos sanguíneos dilatados e, consequentemente, reduzem a pressão sanguínea e melhoram a circulação. Outros alimentos que também contém os oxidantes são frutas coloridas, como maça, chá verde e mirtilo (ou blueberries, em inglês).


Porém, não é para sair comendo chocolate de forma descontrolada. Especialistas alertam que o consumo excessivo de chocolate amargo pode levar a obesidade, fator que é um dos líderes nas causas de doenças cardiovasculares. "Não estamos sugerindo que o grupo de alto risco use o chocolate amargo como sua única medida preventiva, mas sim com uma combinação de escolhas sensatas, como fazer exercício também", alerta Reid.

Doenças cardiovasculares são responsáveis por 30% de todas as mortes ao redor do mundo, de acordo com a Organização Internacional de Saúde.

Por Carmem Sanches

Comente