Cardíacos e hipertensos: atenção redobrada em jogos da Copa

Cardíacos e hipertensos atenção redobrada em jogos

Quem tem o seu time do coração no futebol já está acostumado com o turbilhão de emoções durante uma partida. Ludmila Baldoni é corinthiana roxa é sempre fica desesperada a cada jogo. "Grito, começo a roer as unhas, ando pela casa e fico mandando mensagens via celular para meus amigos que torcem pelo time adversário. Se o meu time perde, choro e fico muito mal humorada", conta.

Mas é em Copa do Mundo que o coração bate mais forte, principalmente durante os jogos, quando se juntam os fanáticos por futebol mais aqueles que só param para torcer quando a seleção brasileira entra em campo. A torcida vira uma festa, com direito a churrasco, salgadinhos e muitos petiscos, todos com muito sal. Para quem é hipertenso, cardíaco ou tem pressão alta, a comemoração exagerada, aliada a uma má alimentação, pode ser um risco à saúde. Uma pesquisa realizada em 2006, durante a Copa do Mundo, mostrou que no dia do jogo da Alemanha houve um aumento de 30% a 40% nos atendimentos de doenças cardiovasculares agudas em prontos-socorros daquele país.

Januário Manoel de Souza, cardiologista da Beneficência Portuguesa de São Paulo, faz um alerta para os cadíacos. "Pessoas que apresentam o estreitamento da coronária podem sofrer um infarto em momentos tensos. Quando a pessoa passa por fortes emoções há um aumento de adrenalina no corpo, também da pressão arterial e do consumo de oxigênio no organismo. Essa obstrução na coronária impede circulação correta do sangue ocasionando infarto", explica.

Em questão de segundos, as nossas emoções transitam entre o ódio e alegria. As descargas de adrenalina associadas com o consumo de sal e álcool são responsáveis por dores no peito, infarto, palpitações (arritmia), AVC (Acidente Vascular Cerebral) ou derrame.

Segundo o cardiologista, uma forma de evitar isso é manter em dia os exames periódicos. Para os mais exaltados um check-up também é a recomendado. "Principalmente para pessoas com histórico familiar de problemas cardíacos. As pessoas que são sedentárias, que não apresentaram até hoje problemas de coração, têm mais de 40 anos, isso para os homens, ou mulheres que já entraram na menopausa, e ainda fumam e bebem também devem fazer exames periodicamente", ressalta o especialista.

No caso de cardíacos ou portadores de doenças graves, Souza indica assistir as partidas em um local mais tranqüilo, aberto e sem muita gente, uma forma de evitar tensões durante os jogos. "É importante também evitar exageros, tanto nas bebidas como nas comidas, também no cigarro". Prefira saladas e carnes magras (frango ou peixe). Cuidado com bebidas à base de cafeína, elas funcionam como estimulantes.

Tenha sempre em mão os medicamentos e não se esqueça de tomá-los no dia da partida. Caso você passe mal não espere o jogo terminar e vá direito ao pronto-socorro. Em muitos casos será difícil manter contato com o próprio médico, pois ele também poderá estar assistindo a partida.


Torcedores monitorados

Um levantamento inédito no país será realizado pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). O estudo vai avaliar os riscos de problemas cardíacos nos torcedores durante os jogos do Brasil. A finalidade é analisar a influência de um jogo dramático sobre a saúde dos espectadores. Com cerca de 200 profissionais envolvidos, os testes serão feitos em prontos-socorros de grandes hospitais de São Paulo, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Campinas, Belo Horizonte e Salvador.

Por Juliana Lopes

Comente

Assuntos relacionados: saúde equilíbrio