Câncer de mama - diagnóstico e tratamento

Câncer de mama  diagnóstico e tratamento

O câncer de mama é uma das enfermidades que mais afetam o psicológico da mulher. Ser vítima deste tipo de doença significa sofrer mudanças na estética e na percepção da sexualidade. Segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer), estima-se que o número de casos de câncer de mama no Brasil em 2008 esteja em cerca de 49.400. Entre mil mulheres, 51 correm o risco de passar por esse problema.

“Esta doença é causada por múltiplos fatores, como hereditariedade, dietas desorientadas, oxidação de hormônios, sedentarismo, obesidade e ausência de amamentação”, explica Marcelo Alvarenga Calil, diretor clínico do IBCC (Instituto Brasileiro de Controle do Câncer).

Sabendo das principais causas deste mal, prevenir fica mais fácil. Dietas pobres em gordura animal, prática de atividades físicas, não aderência a alguns vícios, entre eles, ofumo, e ter acompanhamento médico freqüentemente colaboram para a prevenção. Como a incidência da doença é rara antes dos 40 anos, é indicado que depois desta idade se faça a mamografia com freqüência, segundo orientação médica.

“O tratamento que visa a cura é o cirúrgico, mas também há radioterapia e quimioterapia, que apresentam bons resultados. É importante lembrar que quanto mais precoce for feito o diagnóstico, melhor a chance de cura. O auto-exame também é uma boa arma para as mulheres. Um nódulo com dois centímetros pode ser palpado facilmente”, explica o especialista.

O quanto antes a cirurgia for feita, mais conservadora e menos agressiva ela será. Em alguns casos, a mutilação da mama não é necessária, mas é preciso tirar os tecidos saudáveis que ficam em volta do tumor. Caso contrário, essas células poderão gerar câncer novamente.

Na hipótese de ser descoberto muito tarde, o câncer se prolifera e atinge o organismo, em um processo chamado metástase. A cura é praticamente impossível nestes casos, pois o câncer causa focos em outros órgãos.

Fonte - MBPress

Comente