Câncer de mama: como fazer o autoexame

autoexame

Foto: © Corbis

O autoexame das mamas é um primeiro procedimento básico que visa estimular o cuidado da mulher com o seu próprio corpo no que diz respeito ao câncer de mama. O câncer de mama é o segundo tipo de câncer mais frequente em todo o mundo, perdendo só para o câncer de pulmão. No Brasil, ele é o câncer que mais mata mulheres, muito provavelmente porque a doença ainda é diagnosticada em estágios mais avançados. Felizmente esse quadro pode ser revertido através da informação.

Por esse motivo, o movimento Outubro Rosa estimula durante todo o mês um movimento de conscientização, para que as mulheres não se esqueçam da importância de cuidarem da saúde.

O autoexame, os exames clínicos anuais e as mamografias freqüentes podem reduzir a mortalidade das mulheres propensas ao problema. O autoexame ajuda a mulher a se familiarizar com a forma como são os seus seios. Dessa forma ela mesma pode alertar seu médico quando há alguma mudança em seu corpo. Já a mamografia pode ajudá-la a detectar o câncer antes de você sentir um nódulo.

Todas as mulheres após os 20 anos (com caso de câncer na família) e a partir dos 35 (sem caso de câncer da família) devem fazer o autoexame todo o mês no período entre os exames clínicos das mamas. As mulheres que menstruam devem realizar o procedimento na semana seguinte ao término da menstruação. Quem não menstrua deve ter uma data fixa para realizar o exame mensalmente.

É importante saber que o autoexame não é um exame de prevenção; ele somente detecta quando o câncer já está instalado.

Há três formas de realizar o autoexame, veja abaixo:

No chuveiro

autoexame

Foto/reprodução: nationalbreastcancer.org

Usando as pontas dos dedos, apalpe um dos seios fazendo movimentos circulares, de fora para o centro, verificando toda a mama e a área da axila. Verifique ambas as mamas todo mês para ver se sente algum nódulo ou espessura estranha. Observe as alterações.

Em frente ao espelho

autoexame

Foto/reprodução: nationalbreastcancer.org

Fique despida da cintura para cima e de frente ao espelho. Observe se há alterações na mama. Levante o braço e, com a mão oposta, faça movimentos circulares com as pontas dos dedos indicador e médio, sentindo a consistência da mama.

Faça uma pressão suave com os dedos nos mamilos e na aréola, observando se sai algum líquido.

Apalpe também a região da axila indo em direção a mama e faça movimentos circulares, procurando por caroços ou alguma sensação estranha. Procure por qualquer mudança no tamanho, no formato ou na cor da pele, incluindo vermelhidão, escamações ou ondulações. Faça o teste nos dois seios.

Deitada

autoexame

Foto/reprodução: nationalbreastcancer.org

Quando se está deitada, o tecido mamário se espalha uniformemente ao longo da parede torácica.

Coloque um travesseiro abaixo dos seus ombros e, com o braço levantado e a mão atrás da nuca (em gestos alternados), faça o mesmo procedimento de apalpar os seios e região das axilas através de movimentos circulares.

Caso perceba alguma característica que fuja do normal, marque uma consulta com o ginecologista e informe-o sobre as alterações observadas.


Vale frisar mais uma vez que o autoexame não é suficiente, já que não contribui para a redução da mortalidade por câncer de mama. Isso significa que toda mulher deve realizar também o exame clínico feito pelo médico e a mamografia.

Por Jessica Moraes

Comente