AVC atinge cada vez mais as mulheres

AVC atinge muitas mulheres reconheça e socorra

O técnico do Vasco, Ricardo Gomes, sofreu um acidente vascular cerebral em campo, durante partida no último domingo. Sua expressão no momento pode ser observada por todos Brasil e nos leva a fazer reflexões sobre AVC. O derrame, nos últimos 5 anos, levou 32 mil mulheres a internações em hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS), todas com idades entre 20 e 44 anos.

O AVC ou derrame cerebral atinge milhões de pessoas todo ano no mundo todo. E segundo pesquisas o índice da doença aumenta entre as mulheres. Mas também existem os fatores de risco que podem potencializar as chances de ter um AVC: como uso combinado de anticoncepcional e cigarro, hipertensão arterial ou pressão alta, tabagismo, diabetes, sedentarismo, acúmulo de gordura abdominal, alimentação rica em gorduras e carboidratos, colesterol alto, consumo excessivo de álcool, estresse e depressão, doenças cardíacas e fibrilação atrial, que é um tipo de arritmia mais comum, que aumenta em cinco vezes a chance de sofrer um derrame.

O cardiologista, Dr. Márcio Figueiredo, especialista em Arritmias Cardíacas pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, e Professor da Disciplina de Cardiologia da UNICAMP, explica o que é o AVC. O acidente vascular cerebral (AVC) ou acidente vascular encefálico (AVE) referem-se ao mesmo problema o chamado derrame cerebral.

Sintomas precoces

De acordo com o médico, os sintomas precoces mais frequentes de um AVC isquêmico são:

- fraqueza repentina ou paralisia do rosto e da perna num dos lados do corpo;

- linguagem desconexa;

- confusão súbita acompanhada de dificuldade de falar ou compreender a linguagem;

- obscurecimento súbito ou perda da visão, sobretudo em um só olho;

- perda do equilíbrio e da coordenação;

- dor de cabeça súbita e intensa; perda de sensibilidade de um braço, numa perna ou num dos lados do corpo.

Os sintomas de um AVC hemorrágico, em grande parte, são os mesmos que os de um acidente vascular cerebral isquêmico, embora possam incluir também uma dor de cabeça intensa e repentina, náusea e vômitos, perda de consciência temporária ou persistente e uma pressão arterial muito elevada.

É importante ressaltar que em ambos os tipos de AVC pode-se verificar um padrão anormal de respiração. Em caso de suspeita de AVC ou AVE, a indicação é procurar imediatamente um médico ou ligar para o serviço móvel de atendimento de urgência.

Segundo o médico, os efeitos de um acidente vascular cerebral (AVC) dependem da localização. "Os efeitos provocados variam dependendo da localização exata da obstrução ou hemorragia no cérebro. Todas as zonas do cérebro são irrigadas por artérias específicas. Por exemplo, se uma artéria que irriga a zona do cérebro que controla os movimentos musculares da perna esquerda se encontra obstruída, a perna fica fraca ou sofre paralisia", afirmou.


O tratamento precoce pode ajudar no caso de uma perda de capacidade funcional e sensibilidade, as pessoas que apresentarem algum desses sintomas devem procurar um médico imediatamente, mesmo quando o sintoma não provoca dor ou desaparece rapidamente. O tratamento iniciado nas 3 a 6 primeiras horas pode ser útil para prevenir as consequências mais graves de um acidente vascular cerebral.

Por Catharina Apolinário

Comente