Aumento de casos de câncer x estresse

Aumento de casos de câncer x estresse

Foto: Roberto Stuckert Filho

Definitivamente, o câncer é uma das doenças mais temidas. E nos últimos anos, ele tem estado em evidência, já que surgiram muitos casos, sobretudo, no meio político. Grandes líderes da América do Sul foram diagnosticados com a enfermidade, como a presidenta Dilma, o ex-presidente Lula, a presidenta da Argentina Cristina Kirchner, o ex-presidente do Paraguai Fernando Lugo e o ex-presidente da Venezuela Hugo Chavez, que faleceu recentemente.

Possivelmente uma grande coincidência, mas a causa da doença pode ser algo comum na rotina de cada um deles: o estresse. Afinal, trata-se de um dos fatores que tem levado ao crescimento do número de casos de câncer.

Para o Dr. José Altino, médico especializado em cancerologia clínica, o estresse é significativo nessa elevação constante que se registra. "O organismo humano vive em um estreito equilíbrio de produção de hormônios e renovação de células corporais, como da mucosa intestinal, da pele etc, o que pode levar ao desenvolvimento de nódulos tumorais", detalha o especialista.

No entanto, o que é exatamente o câncer? "É uma mutação genética que pode ser adquirida ou hereditária, levando a uma multiplicação celular desorganizada e desenfreada. Então, há a formação de tumores que invadem órgãos e tecidos, que podem se espelhar pelo corpo (a chamada metástase)", explica a Dra. Valeska Cristina do Carmo, médica especialista em oncologia clínica.

Para ela, o aumento dos casos de câncer resulta de peculiaridades do dia a dia das pessoas. "É um preço que se paga pela vida moderna. O aumento na expectativa de vida e o maior tempo de exposição a fatores carcinogênicos são algumas das causas", diz Valeska Cristina, apontando alguns desses fatores: poluição, sedentarismo, alimentação inadequada, obesidade, etilismo e tabagismo, sendo esses dois últimos um dos principais, além do estresse, como já comentado.


Certamente, existem alguns tipos de câncer que são mais comuns. A médica especialista em oncologia clínica afirma que no homem o mais incidente é o de próstata e na mulher, de mama. Para diminuir as chances desses e também de outros tipos da enfermidade, é recomendado evitar bebidas alcoólicas e cigarro, fazer atividade física pelo menos 150 minutos por semana, ingerir frutas, legumes e verduras e passar por consultas médicas periódicas, realizando os exames de rastreamento quando indicado.

Se a existência da doença for confirmada, nem sempre o tratamento exige seções de quimioterapia e radioterapia, como a maioria das pessoas acredita. "Ele é definido individualmente. No caso de tumor de pele não melanoma, geralmente, é suficiente a cirurgia. Enquanto de tumor de mama depende da fase da descoberta", explica o Dr. Altino, adicionando que o diagnóstico precoce aumenta a possibilidade de cura. Além disso, acredita que equilíbrio na vida pode evitar o desenvolvimento do câncer.

Por Marisa Walsick (MBPress)

Comente