Aumento da Diabetes - sinal de alerta

A incidência de Diabetes tem aumentado no Brasil e no mundo. A Organização Mundial de Saúde (OMS) chama a atenção que a causa desse aumento é a adoção de estilos de vida sedentários e hábitos alimentares diferentes.

A OMS estima que cerca de 5,1 % da população mundial de 20 a 79 anos sofra da doença. Segundo especialistas esse número é maior, pois muitas pessoas têm a doença e não sabem.

Diabetes mellitus é uma condição crônica que surge quando o pâncreas se torna incapaz de produzir insulina (diabetes tipo 1) ou quando o organismo não consegue fazer uso adequado da insulina produzida (diabetes tipo 2). Noventa por cento dos casos pertencem ao tipo 2.

Fatores genéticos estão envolvidos em ambas as formas, mas a do tipo 2 se instala preferencialmente na maturidade e estão ligadas ao excesso de peso, à inatividade física, às dietas ricas em gorduras e em alimentos de alta densidade energética como os carboidratos.

Atualmente, sabe-se que as células gordurosas produzem hormônios que caem na corrente sanguínea e vão afetar outros tecidos. Entre eles estão: leptina (age no centro de saciedade inibindo a fome), resistina (exerce ação oposta à da insulina) e adiponectina (facilita a ação da insulina).

Acontece que na pessoa obesa a produção de resistina aumenta e a da adiponectina cai, criando uma composição hormonal que favorece o aparecimento da doença. Não se sabe por que, mas apesar da produção de leptina ser grande nos obesos, estes são resistentes ao seu efeito de saciar a fome.

Além dos hormônios citados, os ácidos graxos produzidos pelas células gordurosas em excesso acabam acumulando-se nos músculos encarregados de remover glicose da circulação, dificultando a atividade da insulina e aumentando a quantidade de açúcar na corrente sanguínea.

Essas são as razões das pessoas obesas estarem mais sujeitas a adquirir diabetes aumentando progressivamente com a quantidade de gordura em excesso. Pessoas com mais gordura na região abdominal correm maior risco de se tornarem diabéticas do que os obesos com gordura distribuída uniformemente pelo corpo.

Com este relato esperamos estimular as pessoas obesas a se motivarem para o emagrecimento evitando conseqüências desagradáveis da doença que é perda da visão, ataques cardíacos, AVC, amputações de membros, insuficiência renal e outras.

Por Dr. José Rui Bianchi

Médico psiquiatra e Autor do livro

"Emagrecer também é Marketing" - DVS Editora

Comente

Assuntos relacionados: hábitos alimentares diabetes aumento alerta