Após coma alcoólico, estudante deixa mensagem para jovens

"Os médicos achavam que eu tinha tido morte cerebral", disse a garota que teve 0,41 de álcool no sangue
coma alcoólico  Hanna Lottritz

A irmã e a mãe da garota ainda não se recuperaram do baque. Foto: Twitter: @hlottritz/Hanna Lottritz

Aos 21 anos e com muita vida pela frente, uma estudante de jornalismo esteve à beira da morte por conta de uma noite de bebedeira. Hanna Lottritz ficou extremamente alcoolizada depois que exagerou na dose e entrou em coma alcoólico  durante um festival de música.


A estudante britânica disse ao BuzzFeed News que foi a primeira vez que ela tinha bebido tanto em sua vida. De acordo com Lottritz, ela bebeu um pouco durante o dia, mas “se sentiu um pouco atrasada” em relação ao resto de seus amigos, ela escreveu. Foi aí que a garota quis "recuperar o atraso". Ela e uma amiga começaram a competir para ver quem conseguia beber mais uísque. Elas estavam acompanhadas por um grupo de homens.

coma alcoólico  Hanna Lottritz

Foto: Twitter: @hlottritz/Hanna Lottritz

“Aparentemente, depois de beber direito da garrafa, bebi um copo cheio de ‘Black Velvet Whiskey’”, escreveu ela. “Imediatamente depois eu disse aos meus amigos que estava me sentindo bem, mas cerca de cinco minutos mais tarde eu entrei em colapso. Eu não estava respirando”, contou.

A estudante chegou a ser levada para a tenda médica do show, mas seu estado era tão grave que foi encaminhada ao hospital. Seu nível de álcool no sangue era 0,41. 

Alguns médicos achavam que ela não iria resistir àquela noite. “Os médicos achavam que eu tinha tido morte cerebral porque eu estava completamente sem resposta”, escreveu ela.

coma alcoólico  Hanna Lottritz

Foto: Hanna Lottritz

Ela só percebeu a situação em que se encontrava quando acordou 24 horas depois. “[Enfermeiras] me perguntaram se eu estava tentando me matar bebendo tanto”, escreveu ela. “Esta pergunta foi a que mais me atingiu. Da minha cama de hospital na Unidade de Terapia Intensiva, meus olhos se abriram para a gravidade de ser irresponsável com o álcool.”

Além de Lottritz, sua família sofreu muito com o susto. Sua irmã de 17 anos agora tem medo de beber e sua mãe sofre cada vez mais com ansiedade.

“Eu me sinto culpada pelo que fiz eles passarem”, disse ela. “Naquela noite eles achavam que eu não ia sobreviver, e agora sempre que eu saio de casa a ansiedade da minha mãe fica nas alturas.”

A futura jornalista contou a história em seu blog e o post viralizou. Ele teve mais de 300.000 visualizações, o que mostra que a mensagem realmente conseguiu atingir os jovens, que como Lottritz, não medem os riscos de uma noite de bebedeira.

coma alcoólico  Hanna Lottritz

Contusões nos pulsos de onde tirou sangue. Foto - Hanna Lottritz

Quando criticada sobre tomar um copo de álcool em seu aniversário, ela disse: “…Eu quero que as pessoas saibam que o álcool não necessariamente fez isso comigo, foram minhas decisões estúpidas.”

O que fazer em caso de coma alcoólico?

O coma representa um estado patológico que se caracteriza pela perda da consciência, a sensibilidade e a capacidade motora voluntária. Os principais sintomas são enjoos e vômitos, palidez, sudorese extrema, perda do equilíbrio, perda de consciência e desmaio. Veja a seguir os primeiros socorros para o coma alcoólico:

  • Chamar socorro;
  • Verificar o pulso da vítima;
  • Coloque a vítima deitada de lado, para que ela não aspire o próprio vômito;
  • Afrouxe roupas e acessórios;
  • Se a vítima entrar em parada cardíaca, aplicar a respiração boca a boca até a chegada do atendimento.
  • Como prevenir coma alcoólico (Dicas para os pais)

  • O coma alcoólico está ligado ao abuso do consumo de álcool, que, se recorrente, pode dar origem a uma doença crônica, o alcoolismo;
  • O abuso do álcool por adolescentes é cada vez mais comum, por isso é necessário um trabalho conjunto entre pais e escola para conscientizar os jovens do perigo dessa droga lícita;
  • Converse com seus filhos sobre o perigo do abuso do álcool e suas conseqüências;
  • Dê o exemplo em casa, evitando beber em excesso;
  • Fique atento aos primeiros sinais de abuso e procure acompanhamento médico;
  • Por Thamirys Teixeira

    Comente