Anvisa prorroga decisão sobre emagrecedores

Anvisa pretende vetar o uso dos inibidores de apet

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidirá até o mês de agosto se vai vetar ou não o uso dos inibidores de apetite em todo o país.

Os medicamentos emagrecedores à base de sibutramina e derivados de anfetamina, estão sendo estudados pela agência e atualmente é grande tema de discussão entre a classe médica.

Segundo alguns especialistas, as substâncias têm efeito anorexígeno, possui riscos cardíacos e agem no sistema nervoso central.

Entretanto, a Anvisa resolveu adiar a decisão após críticas da classe médica e abriu um debate sobre prós e contras desses medicamentos.

Para o endocrinologista Walmir Coutinho, da Sbem (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia), o veto aos emagrecedores vai deixar "milhões de obesos desassistidos" no país. "Ficaremos sem uma importante alternativa de tratamento", afirmou.

Já o diretor do Cebrid (Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas), Elisaldo Carlini, vê a proibição dos medicamentos como a única forma de controlar "o uso irracional" dos inibidores de apetite.

A Anvisa espera dados novos que possam servir de forte argumento contra o veto. Do contrário, a decisão da proibição desses medicamentos irá prevalecer.

Desde que um estudo publicado em 2009 no "New England Journal of Medicine", associou o uso de sibutramina a problemas cardíacos em obesos, o medicamento já foi proibido na Europa e nos EUA.

Há quem defenda a liberação desses medicamentos, com o argumento de que todas as medicações são passíveis de efeitos colaterais e nem por isso são suspensos do mercado. E que cada paciente deve analisar o risco-benefício a cada um.


O que solicitam as entidades engajadas na luta pela manutenção dos inibidores de apetite, é que a Anvisa passe a ter mais rigor na vigilância e coíba os abusos no uso desses remédios.

Por Jessica Moraes

Comente