A polêmica do tamanho zero - um alerta sobre a anorexia

zero sizetamanhozeroanorexia

Fotos - Reprodução

Segundo a revista Grazia britânica, a moda em Hollywood agora não é mais o tamanho zero, nem o zero duplo, mas sim o zero triplo. E muitas lojas não perderam tempo e já rechearam suas araras com o novo manequim. Enquanto uma medida tamanho zero seja equivalente a uma cintura de 63 centímetros, uma medida zero tripla é equivalente a uma cintura de 58 centímetros - equivalente a cintura de meninas de seis a oito anos de idade.

O motivo da nova febre de acordo com alguns especialistas é o marketing pessoal. Mas eles apontam ainda que a febre ficou pior com o boom das redes sociais e com os selfies. "A mania do selfie, intensificou esse cenário e as celebridades sabem que se elas postarem uma foto na qual aparecem muito magras, com costelas marcadas, elas vão chamar atenção", diz o personal trainer James Duigan.

No papel de vilãs do caso tamanho zero triplo, a publicação aponta famosas como Alexa Chung, Nicole Richie e Kate Bosworth, que eram magérrimas e parecem ter perdido ainda mais peso recentemente.

Existem pessoas naturalmente magras que até se esforçam para ganhar um pouco mais de massa. Porém quem não tem essa tendência natural eve tomar cuidado. Se forçar a ser um tamanho zero, ou duplo, ou triplo, pode trazer graves consequências.

"Estar abaixo do peso é tão grave quanto estar acima. Quando a gordura corporal reduz demais, pode acarretar períodos menstruais irregulares, o que significa que não ocorre ovulação em todos os ciclos e que os hormônios param de ser produzidos pelos ovários. As mulheres precisam produzir hormônio de estrôgenio para proteger seus ossos, portanto, estar abaixo do peso coloca a mulher sob um risco maior de sofrer lesões e doenças como osteoporose", conta o nutricionista Adam Carey.

O especialista chama atenção também para a perda de massa muscular em uma dieta intensa, o que diminui o metabolismo e, o mais preocupante: pode causar a perda de massa muscular e aumentar o risco de ataques cardíacos.


Por Vila Mulher

Comente

Assuntos relacionados: bulimia anorexia magra estrogênio