A importância da consulta oftalmológica

A importância da consulta oftalmológica

Não importa a idade a prevenção é importante em qualquer área relacionada à saúde. O diagnóstico precoce é essencial para obter soluções adequadas ao tratamento das doenças oculares. O check-up oftalmológico deve ser realizado anualmente.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, as principais causas de cegueira no Brasil são catarata, glaucoma, retinopatia, cegueira infantil e degeneração macular. Uma pesquisa realizada pelo IBGE, em 2010, mostrou que 6,5 milhões de brasileiros têm algum tipo de deficiência visual, entre elas: cegueira permanente, baixa visão ou subnormal. Além disso, 29 milhões de pessoas declararam ter dificuldade para enxergar mesmo usando óculos ou lentes de contato.

"A consulta com o oftalmologista é muito importante para prevenir as doenças oculares. Muitos casos de cegueira e perda visual podem ser tratados se descobertos no inicio. Um fato muito comum e que leva o paciente ao consultório são os sintomas comuns de visão: dores de cabeça, olhos vermelhos, ardência e cansaço. O grande problema é o péssimo hábito de deixar para depois e não dar importância aos sinais do corpo. Uma doença fácil de ser tratada pode se tornar irreversível. O ideal é procurar o oftalmologista mesmo sem sentir qualquer sintoma para prevenir problemas futuros", diz Dra Rachel Gomes, especialista do Hospital de Olhos Paulista.

A primeira visita ao oftalmologista deve acontecer após o nascimento, aos seis meses, dois, quatro e seis anos (período de alfabetização). Depois deste período a consulta é anual. Os cuidados com a saúde ocular pode ser dividida em seis fases:

Pré-Natal: os primeiros cuidados começam durante a gravidez. O acompanhamento pré-natal é muito importante. Os exames solicitados pelo ginecologista ajudam a detectar doenças existentes e que podem comprometer a saúde do bebê, entre elas: rubéola e a toxoplasmose podem causar cegueira e problemas neurológicos. "É fundamentar realizar o pré-natal para acompanhar a evolução da gravidez, monitorar a saúde da mãe e da criança", ressalta Dra Rachel Gomes, oftalmologista do Hospital de Olhos Paulista.

Recém-nascido: ao nascer, o bebê enxerga pouco. A visão se desenvolve no decorrer dos anos. A catarata e o glaucoma congênito podem ser detectados com o "teste do olhinho" ou reflexo vermelho. O exame é capaz de detectar várias doenças, entre elas oretinoblastoma (câncer ocular) e a catarata congênita. Bebês podem apresentar nos primeiros dias de vida olhos vermelhos e lacrimejantes (dacriocistite) causados pela obstrução do canal lacrimal. Outras alterações devem ser observadas, como por exemplo, mancha branca na menina dos olhos, olhos grandes ou que não suportam a claridade.

Infância: a visão alcança a maturidade aos cinco anos. É importante prestar atenção aos sintomas de problemas oculares nas crianças: lacrimejamento excessivo (indícios de obstrução do canal lacrimal ou glaucoma congênito), olho torto (vesguice ou estrabismo), dor de cabeça, mal estar e mesmo forçar a visão para realizar tarefas do cotidiano como ler, desenhar e escrever. Outros indícios são: franzir a testa para enxergar de longe, se aproximar de objetos, desinteresse em atividades que necessitam de boa visão ou ainda o desenvolvimento do "Olho preguiçoso" ou ambliopia quando um dos olhos não desenvolve a visão e com o passar o tempo o cérebro ignora as imagens da vista fraca. A consequência é a perda total da visão. A doença que deve ser corrigida durante a infância.

Período Escolar: nesta etapa da vida os problemas comuns são os refrativos (miopia, astigmatismo e hipermetropia). Os principais sintomas são: desinteresse e dificuldade de aprendizado.

Adolescência: as doenças refrativas podem ser corrigidas com uso de óculos, lentes de contatos ou ainda pela cirurgia para sanar o problema. No período da adolescência pode ocorrer o aparecimento do ceratocone, provocando irregularidades na córnea. O principal sintoma é coceira excessiva nos olhos. A doença não tem cura. O tratamento ajuda a melhorar a visão e reduzir a deformidade da córnea.

Adulto: Presbiopia popularmente conhecida como vista cansada, coceira nos olhos e lacrimejamento - a grande dificuldade é focalizar objetos próximos. Este problema pode ser solucionado com o uso de óculos e lentes de contato e normalmente ocorre a partir dos 40 anos.


Por Vila Mulher

Comente