Soja na alimentação

Soja na alimentação

Rica em proteínas, a soja ganhou certa popularidade por aqui devido ao aumento do número de imigrantes japoneses e pelo fato de a culinária oriental ter caído no gosto nacional. Essa "moda" de comer soja também é ligada às inúmeras vantagens do alimento, que também é utilizado na fabricação de cosméticos, tintas, biodiesel e na dieta de animais.

De acordo com a especialista a nutricionista Dafne Oliveira, em entrevista ao Culinária & Receitas, os benefícios causados pela ingestão de soja são vários e podem até prevenir doenças como o câncer, amenizar sintomas da menopausa e regular os níveis de colesterol.

"As isoflavonas exercem uma atividade anticancerígena, antifúngica e antioxidante, além de exercer também a atividade estrogênica - que pode aliviar os fogachos da menopausa - e diminuir o colesterol ruim e o total. Suas gorduras mono e polinsaturadas ainda aumentam o colesterol bom no sangue", afirma.

"O cálcio e o fósforo são imprescindíveis para formação e manutenção do tecido ósseo. O cálcio, além desta função, desempenha importante papel na contração muscular, enquanto o magnésio, o sódio e o potássio respondem não apenas pelo processo de contração, mas também pelo relaxamento muscular", conta Dafne.

Vitaminas também estão presentes no grão e resultam em melhorias na saúde. "A vitamina E possui um importante efeito antioxidante, melhora a função da parede dos vasos sanguíneos, a circulação e auxilia na fertilidade. As vitaminas do complexo B são essenciais para o bom funcionamento do metabolismo - já que exercem o papel de coenzimas de diversas reações", revela a especialista.

O ferro, o manganês e o cobre completam a potência deste superalimento. "O ferro é constituinte da hemoglobina e mioglobina, pigmento responsável por transportar oxigênio no nosso sangue, estocar oxigênio no músculo e responder pelo bom funcionamento do sistema imunológico. Já o manganês está associado à formação de tecido conjuntivo e ósseo", conta.

"O cobre é essencial para diversas funções orgânicas, como a mobilização do ferro para a síntese da hemoglobina, a síntese do hormônio da adrenalina e a formação dos tecidos conjuntivos", acrescenta.


Para um melhor aproveitamento de seus componentes, a nutricionista dá dicas de como utilizá-la: "Apesar do cozimento reduzir a concentração principalmente das vitaminas do complexo B, devemos sempre ingerir a soja cozida, porque ela crua apresenta alguns fatores antinutricionais como os fitatos, que impedem o aproveitamento dos nutrientes de uma forma geral", finaliza.

Por Jessica Moraes

Comente