Sódio: vilão ou mocinho?

Sódio vilão ou mocinho

Segundo a Anvisa, o macarrão instantâneo é o alimento que mais contém sódio. Em um pacote com 85 gramas do produto há cerca de uma colher (chá) rasa de sal/ Foto Kittikun Atsawintarangkul Images/ http://bit.ly/vJsePi

O sódio é um mineral muito importante para o bom funcionamento do nosso organismo. É ele um dos responsáveis pela condução dos impulsos nervosos, contração muscular e regulação do volume plasmático. O sal de cozinha é a nossa fonte primária de sódio.

O grande problema é o consumo em excesso. Em grandes quantidades o sódio pode desencadear problemas renais. Quando consumido em demasia, este mineral faz com que o corpo retenha líquido, "além de causar edema (inchaço) e sobrecarregar os rins", afirma Dr. Hélio Osmo, nutrólogo, consultor da Abiad.

Pessoa que sofrem de hipertensão e/ou diabetes deve ter um cuidado redobrado. Isto porque a retenção de líquidos ataca os rins que já são bastante debilitados por conta destas doenças. "Com o passar do tempo, os rins começam a ficar afetados e as pessoas podem chegar a precisar de um transplante", comenta o nutrólogo. "Se a pessoa ingerir muito sódio, através do sal dos alimentos, a chance de ter problemas renais é grande", completa.

É importante frisar que não há doenças desencadeadas por este mineral. Entretanto, Dr. Hélio reforça: "As pessoas com doenças renais, hipertensão e diabetes precisam ter um consumo de sal restrito". A ingestão de sal é uma questão cultural e o Brasil vem adotando cada vez mais este costume, principalmente por meio de alimentos industrializados.

O nutrólogo explica a função do sódio nos alimentos industrializados: "Todos eles têm sal, pois sua função neles é exacerbar o sabor e conservar estes produtos por períodos prolongados, como acontece com os embalados e enlatados."

Segundo a Anvisa, o macarrão instantâneo é o alimento que mais contém sódio. Em um pacote com 85 gramas do produto há cerca de uma colher (chá) rasa de sal. Esta quantidade é recomendada para o consumo diário. Outro vilão da boa saúde é o salgadinho de milho, aquele muito apreciado pelas crianças. A porção de sódio contida neles ultrapassa a quantidade diária recomendada para os pequenos. Conservas, fermento químico, queijo parmesão, molho shoyo e tabletes de caldo de carne também aparecem nas primeiras posições da lista.


Para saber se o produto que está prestes a consumir tem muito ou pouco sódio, basta verificar o rótulo. "Ele identifica a composição de macronutrientes (gorduras, açúcares e proteínas) e micronutrientes (minerais e vitaminas) do alimento. Quando sabemos que temos que restringir algum destes compostos, por alergia ou porque estamos fazendo alguma dieta, temos a oportunidade de identificá-los na informação nutricional dos rótulos", explica Dr. Hélio.

Quantidade saudável

A quantidade máxima de sódio que uma pessoa saudável pode consumir diariamente gira em torno de 1,5 gramas, com tolerância de 2 gramas em dias quentes. O nutrólogo alerta: "Pessoas com problemas renais, hipertensão e diabetes não devem consumir mais que 0,5 gramas por dia."

Por Bianca de Souza (MBPress)

Comente