Saiba como ler o rótulo dos alimentos

rótulo dos alimentos

Aquele rótulo que acompanha o produto que você compra na prateleira do supermercado tem dados importantes que nem sempre são de fácil compreensão do grande público.

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) o rótulo deve conter dados como: lista de ingredientes, tabela nutricional, peso líquido, data de fabricação e prazo de validade, identificação do produto, da origem e do lote. A informação nutricional contida nessa etiqueta traz informações necessárias para se saber o quanto você está consumindo. Saiba o que significa cada item:

Porção:na parte superior da etiqueta, logo após a "informação nutricional". É a dose considerada adequada para uma pessoa. Pode estar medida em gramas ou mililitros, dependendo do produto.

Medida caseira: ainda em porção; ela mostra qual é a forma de medida normalmente utilizada pelo consumidor para calcular a quantidade daquele alimento. Exemplo: unidade, xícara, fatia, colher, copo, etc.

%VD: significa Valor Diário, ou seja, a sigla indica qual a porcentagem de nutrientes que o alimento apresenta em uma dieta média de 2.000 calorias.

Valor energético: são as famosas calorias (kcal). Elas representam a energia que nosso corpo produz a partir do consumo daquela porção de alimento.

Recomendação: 2.000 calorias (média para um adulto saudável).

Carboidratos: representam a soma de açúcares e amido. A maioria dos rótulos não faz divisão de cada uma dessas substâncias. Por isso, é preciso consumir a quantidade adequada desse nutriente, daí a importância de ficar de olho no %VD dos alimentos.

Recomendação diária: 300g

Proteínas: auxiliam a construir e conservar os tecidos e músculos. Em doses apropriadas, elas garantem a manutenção da saúde e também proporcionam sensação de saciedade, mais que o carboidrato.

Recomendação diária: 75g

Gorduras totais: além de serem altamente calóricas, elas auxiliam no transporte das vitaminas A, D, E e K. O seu consumo deve ser moderado, já que o abuso dessas gorduras provocam o aumento de peso.

Recomendação diária: 55g

Gorduras saturadas: o seu consumo excessivo está associado a doenças cardiovasculares, o que aumentam os níveis do colesterol ruim e também são muito calóricas, ou seja, quanto menos, melhor.

Recomendação diária: 22g

Gorduras trans: elas estão presentes principalmente em produtos industrializados, e que acumulam gordura principalmente na barriga. Também oferece mais riscos ao coração que a gordura saturada.

Recomendação diária: o ideal é consumir no máximo 2g de gordura trans por dia.

Colesterol: possui funções importantes no organismo, produz vitamina D, bainha dos nervos. O fígado produz 1 grama de colesterol por dia, que é a quantidade suficiente de que o corpo necessita. Porém, o exagero nesse consumo também pode gerar o aparecimento de doenças no coração.

Recomendação diária: 300mg

Cálcio: é responsável pela formação óssea e dos dentes, contração muscular e impulsos nervosos.

Recomendação diária: 800mg.

9. Ferro: é importante no transporte de oxigênio e formação da hemoglobina, além de estar envolvido no sistema imunológico.

Recomendação diária: 15mg.

Fibra alimentar: são compostos essenciais para o bom funcionamento do organismo. Entre seus benefícios estão o controle das taxas de glicemia e colesterol, a manutenção das funções intestinais e o aumento do efeito de saciedade. As fibras são facilmente encontradas em frutas, hortaliças, feijões e alimentos integrais.

Recomendação diária: 25g

Sódio: o nutriente é importante para o desempenho cerebral. Em excesso, ele retém líquidos e aumenta a pressão arterial. Atenção: o sódio é um dos componentes do sal de cozinha, e está presente na maioria dos produtos industrializados, mesmo os que têm gosto doce. É sempre bom ficar de olho no %VD.

Recomendação diária: 2.400mg

Outras observações

Diet x light: produtos diet são alimentos destinados a dietas com restrição de nutrientes, como carboidrato, gordura, proteína ou sódio. Um chocolate diet, por exemplo, não contém açúcar. Uma bebida diet deve possuir um teor de açúcar menor que 0,5g/100ml. Já o light é utilizado em produtos que tenham baixo ou reduzido valor energético/nutricional. Os alimentos light devem ter no máximo 40kcal/100g em produtos sólidos e no caso das bebidas, a proporção é de até 20kcal/100ml, em comparação com produtos similares convencionais. O produto ao qual o alimento é comparado deve ser indicado no rótulo.

Sem conservantes: isso não exclui a possibilidade do produto conter outros aditivos que prolonguem a sua validade. O alimento pode conter corantes artificiais, acidulantes e/ou antioxidantes.

Produto 100% natural: difícil um produto industrializado ser totalmente natural. Mesmo sem corantes ou conservantes, eles podem conter um nível elevado de açúcar, por isso é bom prestar atenção nesse tipo de produto.


Por Jessica Moraes

Comente