Pizza pode entrar na dieta

Pizza pode entrar na dieta

Saborear uma bela pizza sem sair da dieta é impossível. Não é! A nutróloga e endocrinologista afirmou que basta escolher os ingredientes corretos para que a pizza se torne uma opção mais saudável.

Segundo a endocrinologista e nutróloga Ana Palma Kareiva Simioli, professora do curso de Medicina da Universidade Cidade de São Paulo, UNICID, a massa da pizza é uma fonte de carboidrato essencial para uma alimentação equilibrada. Dependendo do sabor da pizza ela pode ter seu valor calórico não tão elevado quanto se pensa. "É possível escolher uma pizza saudável, associando o queijo, de preferência um ou no máximo dois tipos, a ingredientes como cebola, palmito, escarola, rúcula, tomate, ervilha, milho, pimentão, champignon, alcachofra, alcaparras e shitake, um tipo de cogumelo japonês, rico em proteínas. Não há problemas em consumir uma ou duas fatias, das opções mais leves esporadicamente," afirmou.

Não exagerar no azeite torna a pizza ainda mais leve. "Apesar do azeite de oliva extra virgem ser um tipo de gordura boa por colaborar com a redução do colesterol total no nosso organismo, se consumido em grandes quantidades poderá perder essa função, facilitando o acúmulo do mesmo. Lembrando que 10 gramas de azeite de oliva extra virgem contém 88,4 kcal e uma única fatia de pizza poderá chegar a 450 kcal," orientou.

As coberturas ricas em gordura são as que aumentam as calorias do alimento, e, apesar de irresistíveis, precisam ser consumidas com moderação. "É aconselhável evitar grandes quantidades de ingredientes calóricos, como provolone, gorgonzola, parmesão, catupiry, calabresa e bacon, principalmente quando em combinação num mesmo tipo de pizza, pois são alimentos ricos em colesterol e gordura saturada, prejudiciais à nossa saúde," explicou.


As pizzas doces também colaboram no aumento do consumo de calorias.

Por Catharina Apolinário

Comente

Assuntos relacionados: nutrição bem estar dieta