Pesquisa traça o consumo de chocolate no Brasil

Chocolate

Chocólatras sempre! Conforme dados do IBOPE Mídia, as mulheres lideram o consumo de chocolates e representam 55% dos consumidores.

Os baianos que moram na capital estão no topo da ranking com 75% do consumo. São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG) e Fortaleza(CE) seguem no ranking dos chocólatras, com 72% da população consumidora. O Brasil é o segundo no ranking mundial dos produtores de ovos de chocolate, perdendo apenas para a Inglaterra.

Esta época é propícia para mais brasileiros comam mais o "alimento dos Deuses". Dados do estudo revelam que 68% da população já consumiu a guloseima nos últimos sete dias.

Quem gosta do chocolate amargo é que ganha mais ganha a cada mordida. Frederico G. Marchisotti, endocrinologista do Lavoisier Medicina Diagnóstica/ DASA, essa versão que não contém leite e tem maior quantidade de cacau que os outros, apresenta flavanóides, substâncias também encontradas no vinho tinto, e que são consideradas "protetores cardíacos". Esses estão relacionados à redução de eventos cardiovasculares como infarto e AVC.

"Além dos benefícios cardíacos que o consumo consciente pode acarretar, o chocolate nos dá uma sensação de prazer, pois estimula liberação de serotonina, mesma substância incitada em emoções positivas. Por ser bastante calórico, também é considerado uma fonte de energia. Fatores estimulantes como ingredientes que se assemelham à cafeína e pequena quantidade da mesma também são encontrados no chocolate, além de substâncias que podem ativar receptores canabinóides, que acarretam sensações de sensibilidade e euforia", acrescenta Dr. Frederico.

Mais benefícios do chocolate:

- Por ser vegetal, a gordura da manteiga de cacau não contém colesterol e o porcentual de gordura saturada e insaturada em sua constituição está dentro das recomendações estabelecidas pela Associação Americana de Cardiologia (AHA);

- O chocolate libera endorfinas, podendo estimular o apetite sexual e causar sensações de bem-estar;

- O chocolate contém estimulantes alcalóides, como a cafeína e a teobromina, gerando um efeito energético que incide sobre a concentração e a capacidade física de quem o consome em quantidades moderadas.

Por Juliana Lopes

Comente